.Confira a entrevista realizada pela TV Canção Nova com Iago Ervanovite, ex-aluno da Graduação e atual pós-graduando no UNISAL Lorena: https://noticias.cancaonova.com/mundo/advogado-comenta-adolescencia-aos-24-anos/.


.

Por Gilson José Fidelis

Em meio às turbulências da economia e à instabilidade na relação de emprego no Brasil, a Gestão de Pessoas (GP) é uma estratégia que desempenha importante papel no planejamento da gestão organizacional, e amplia as pretensões de desenvolvimento e competitividade no âmbito do mercado corporativo e das pessoas. Se, por um lado, as empresas precisam entender a dinâmica do cenário econômico e decidir com especialização e inovação, por outro, os gestores precisam também assumir a responsabilidade por uma atuação mais abrangente e compartilhada com as pessoas, condição que aumenta o leque de oportunidades para se atingir resultados superiores com convergência de propósitos, e pode garantir sustentabilidade em termos de competências organizacionais e profissionais.

Um dos departamentos estratégicos que contribui para as ações de GP é o RH e seus subsistemas – em particular o Departamento de Pessoal (DP), considerado tradicional e burocrático, mas ganha novos contornos com a introdução do novo sistema de controle eSocial e pelas alterações da Reforma Trabalhista, ampliando seu foco de atuação para assuntos mais relevantes no contexto das relações trabalhistas.

Estas mudanças trazem também novos assuntos, até então pouco explorados pelo DP, ou seja, a integração de informações contábeis, jurídicas e de saúde e segurança do trabalho. Esta integração é um salto de qualidade nas atribuições do DP com os gestores na empresa, pois a proximidade com os gestores garante melhor entendimento das necessidades e atuação mais holística, ampliando suas responsabilidades e fomentando a administração das equipes com informações mais estratégicas.

Portanto, especializar-se em Departamento de Pessoal é fator preponderante. O mercado precisa de profissionais qualificados para atender as demandas estratégicas das empresas perante aos órgãos de regulação, além do domínio dos assuntos trabalhistas, tão importantes para uma administração de qualidade.

Sobre o autor

Mestre em Administração com ênfase em Gestão de Pessoas e Organizações – Universidade Metodista de São Paulo; MBA em Recursos Humanos e Talentos; MBA em Tecnologia da Informação pela Universidade de Mogi das Cruzes; Extensão MBA no Brasil pela California State University/Harvard College of Business and Economics; Graduado em Comunicação Social – Rel. Públicas pela Universidade Metodista de São Paulo; Professor de Graduação e Pós Graduação; Foi responsável pela Pós-Graduação em Gestão de Pessoas da Universidade Braz Cubas de Mogi das Cruzes; Escritor de 4 livros publicados, sendo 3 publicados sobre Gestão de Recursos Humanos e Gestão de Pessoas pela Editora Erica/Saraiva SP e 1 sobre Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas pela Editora Qualytimark/RJ; Consultor Empresarial com larga experiência na área de Administração, com ênfase em Recursos Humanos.

Contato: www.ctcqualifica.com.br / gilsonfidelis@ctcqualifica.com.br

(11) 4125-8025 / (11) 99295-2868

.


.

Até 2050, o número de pessoas que vivem com demência deve triplicar. A Organização Mundial da Saúde afirma que, atualmente, 50 milhões de pessoas têm a doença, e que o número chegará a 152 milhões nas próximas três décadas. Pelo menos 10 milhões de pessoas desenvolvem insanidade a cada ano, e dessas, 6 milhões vivem em países de baixa e média renda. Mas o risco de demência pode ser menor se levarmos em conta um estudo comprovado por pesquisadores ingleses. Segundo eles, o casamento reduziria este risco, ao proporcionar a companhia de alguém para a vida toda. A reportagem de Fernanda Ribeiro e Messias Junqueira, da TV Canção Nova, contou com a colaboração de nossa ex-aluna do curso de Psicologia, Patrícia Silveira.

https://noticias.cancaonova.com/brasil/pesquisa-revela-que-o-casamento-reduz-o-risco-de-demencia/

.


.Em 31 de janeiro de 2018, data que marca os 130 anos do falecimento de Dom Bosco, o Pe. Osmar Hércules Padovan, reitor do Santuário Dom Bosco, esteve na TV Aparecida para uma entrevista com José Eymard, apresentador do programa Bem-Vindo Romeiro. No mês de fevereiro, Pe. Osmar será transferido para uma obra salesiana em Araraquara-SP – mas antes da despedida, teve a oportunidade de falar para todo o Brasil todo sobre como Dom Bosco é um exemplo de amor à Nossa Senhora. Confira:

http://www.a12.com/tv/programas/bem-vindo-romeiro/saiba-mais-sobre-os-ensinamentos-de-dom-bosco-31-de-janeiro-de-2018-01-02-2018-09-06-51.


.Confira dicas para aproveitar melhor a nota no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), com a Professora do UNISAL Suillan Gonzalez. A entrevista foi concedida em 25/01/18 ao Jornal o Povo do Ceará, por meio de parceria com grupo Jeduca (Jornalistas de Educação).

https://www.opovo.com.br/noticias/brasil/2018/01/ultimo-dia-de-sisu-veja-como-aproveitar-a-nota.html.


.CAPA-LIVRO-P.-JEFFERSON-200x300

“Entre Ricoeur e Freud: Você é quem pensa ser? A desapropriação e a reapropriação da consciência” é o título do novo livro do Pe. Jefferson da Silva, salesiano e professor do curso de Filosofia do UNISAL Lorena. A obra aborda as reflexões do filósofo francês Paul Ricoeur (1913-2005). Para Ricoeur, depois das descobertas de Freud quanto ao realismo do inconsciente, a reflexão foi posta em dúvida, pois tudo o que se pensa ser, pode ser meras ilusão ou devaneio. O escopo do livro é colocar sob suspeita as próprias reflexões. É cogitar que uma pessoa pode ir além de certas opiniões fechadas e unilaterais. Pensar a desproporção do sujeito, numa primeira impressão, soa como algo negativo; como se desejasse levantar uma “bandeira” da negatividade, uma negação de si mesmo. Mas é justamente o contrário, pois possibilita vislumbrar que um sujeito não se encontra pronto e acabado, mas pode se construir ao longo da história e de suas escolhas.

Em 23 de fevereiro, a partir das 8h, a obra será lançada no Salão do Júri do UNISAL Lorena, com participação aberta a todos os interessados. E o livro já está disponível nas versões impressa e digital, a partir do preço promocional de R$35,90: https://goo.gl/YFkrwm

 Sobre o autor

Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2016), Mestre em Filosofia pela Universidade São Judas Tadeu (2011), Especialista em Logoterapia e Análise Existencial, com Ênfase em Educação pela Faculdade João Paulo II (2014). Licenciatura em Filosofia pelo Centro Universitário Salesiano São Paulo – UNISAL (2001), bacharelado em Teologia pela Faculdade Dehoniana e pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2005). Atualmente é professor do UNISAL Lorena e da Faculdade Canção Nova. 

.


.A Reforma Trabalhista entrou em vigor em novembro, e as férias tem novas regras a serem acordadas entre empregado e empregador. A Dra. Maria Lúcia Rodrigues, advogada trabalhista e previdenciária que também é ex-aluna do UNISAL, concedeu entrevista à Rádio Aparecida sobre as mudanças em relação às férias – que agora pode ser dividida em até três períodos, mas em comum acordo entre o trabalhador e a empresa:

http://www.a12.com/radio/noticias/entenda-o-que-muda-nas-ferias-e-feriados-com-a-reforma-trabalhista.


.O gás de cozinha ficou 70% mais caro em seis meses – e isso afeta diretamente o orçamento do brasileiro. A reportagem de Fernanda Ribeiro e Genilson Pacetti, da TV Canção Nova, conta com entrevista do Professor do UNISAL Humberto Felipe:

https://youtu.be/6gN_WorGJOU?t=121.


.

Fonte: Portal Canção Nova

Final de ano chegando – e com ele as festas, presentes, convivência e também muito planejamento.

O comércio nos grandes centros movimenta a economia, e o trabalhador aguarda ansioso pelo décimo terceiro salário, cuja segunda parcela deve ser pago até o dia 20 de dezembro.

Em tempos de retomada, é preciso fazer uma leitura do que aconteceu com a economia do país nos últimos meses. O economista Humberto Felipe da Silva lembra que a mudança na direção do país no ano passado trouxe uma grande esperança para a economia brasileira; mas como denúncias continuaram a envolver membros do governo, isso trouxe insegurança para o mercado, e abalou a esperada e rápida retomada do crescimento.

Assim, mesmo que os dados econômicos tenham apresentado algumas melhoras – ou no mínimo, não tenham apresentado pioras – isso não foi capaz de se traduzir em melhorias significativas na expectativa dos agentes econômicos (consumidores, empresários, mercado financeiro, etc). “Os índices de inflação e as taxas de juros têm apresentado tendências de queda, enquanto a atividade econômica tem apresentado melhora em seus resultados”, diz o especialista.

Por atividade econômica compreende-se tudo o que concorre para produzir, distribuir e consumir bens e serviços. “O Consumo Aparente (CA) de bens industriais cresceu 8,1% no mês de outubro quando comparado com o mesmo mês de 2016. A inflação encontra-se em níveis bem abaixo do que era esperado: a estimativa é de algo em torno a 3,8% para esse ano. Se compararmos com 2016, que foi de 6,29, é uma ótima notícia. Por outro lado, a taxa Selic está hoje em 7% com viés de baixa. A expectativa é que essa taxa fique em 6,5% todo o ano de 2018. Em dezembro de 2016 ela estava em 13,65%, um valor altíssimo”, explica o economista.

Porém, todos esses indicadores ainda não foram suficientes para entusiasmar o mercado. Segundo Humberto, as empresas estão com medo de produzir mais e os consumidores com medo de gastar. “Outro fator que ainda preocupa é a taxa de endividamento da família brasileira, ainda muito alta, e, do mesmo modo o desemprego. É bom lembrar que 61 milhões de brasileiros estão com as suas contas em atraso”.

Vendas de Natal

A Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) avalia que este Natal será melhor que o do ano passado, prevendo um crescimento das vendas em torno de 7%. “Inflação e juros em baixa devem representar preços mais baixos nas gôndolas. A expectativa é que a dona de casa e o consumidor em geral não encontre, como nos anos passados, preços aterrorizantes. Isso permitirá ser um pouco menos ‘pão duro’ na hora de comprar os presentinhos e lembranças.”, diz o economista.

Décimo terceiro salário

Do jeito que anda a economia, o 13º, que já representou para a maioria das pessoas uma folga para a compra de presentes de Natal, ainda tem que funcionar com esparadrapo para a queda econômica que a família brasileira sofre. Para Humberto, é hora de colocar primeiro as finanças em dia e pagar o que se deve. “O ideal é programar o pagamento das contas em atraso. Depois verificar as despesas de janeiro, os IPs do primeiro mês do ano, IPTU, IPVA, matrícula na escola, material escolar, etc. Somente depois de fazer a provisão para essas contas é que se apura o saldo para as compras de Natal”.

A professora Maria Izabel Gomes tem feito dessa forma. “Uso o dinheiro do décimo terceiro para pagar as contas, em primeiro lugar, como água, luz, telefone e imposto. Depois o que sobra vai para os remédios da minha mãe, que tem câncer. Por fim, uso para a alimentação. Acaba sendo um complemento do meu salário, um mês em que fico mais tranquila”. Já Bianca Oliveira é farmacêutica e consegue poupar nesta hora. “Não mexo em nenhum centavo do meu décimo terceiro. Não faço planos com ele. Finjo que ele não existe e guardo tudo”.

“É preciso tomar muito cuidado pois quando se olha o saldo bancário na véspera do Natal dá aquela sensação de que ficamos ricos. Depois de tantos meses coloridos, Setembro Amarelo, Outubro Rosa e Novembro Azul, é preciso evitar o Janeiro Vermelho. Para muitos é vermelho sangrento. Quem souber gastar bem seu dinheiro será recompensado no ano seguinte”, pondera o economista.

.


.Bancos e poupadores resolveram a última pendência e assinaram o acordo de indenização pelas perdas econômicas dos planos Bresser, Verão, Collor 1 e Collor 2. A reportagem de Adilson Sabará e Messias Junqueira, da TV Canção Nova, conta com o comentário do Professor do UNISAL e advogado Marcos Edwagner:

https://youtu.be/BGyYnz3gJk0?t=85

https://noticias.cancaonova.com/brasil/bancos-devolverao-perdas-de-planos-economicos-das-decadas-de-80-e-90/

 

 

 .


.

Alunos do sexto período de Jornalismo da Faculdade Canção Nova produziram uma série de reportagens, com histórias de quem trabalha, utiliza e até mora à beira da Rodovia Presidente Dutra. Na primeira reportagem, confira os relatos de quem acompanhou de perto a transformação desse trajeto: https://youtu.be/AeA8Yaqa_tQ?t=158

.


.

Fonte: Portal Canção Nova

 

Papa Francisco chegou nesta segunda-feira, 27, a Mianmar, para uma viagem de seis dias ao continente asiático. Nesta oportunidade, o Santo Padre visitará também Bangladesh. Esta é a primeira vez que um Papa visita Mianmar. Com uma população de 53 milhões, de maioria budista, os católicos representam apenas 1,27%. Em Bangladesh, a maioria da população, de 163 milhões, é muçulmana, os católicos representam apenas 0,24%. Nos dois países, de minoria cristã, Francisco deseja que sua visita seja uma “fonte de esperança” a todos, e espera encorajar os católicos locais, confirmando-os na fé.

Professor e historiador, Mário José Dias / Foto: Arquivo Pessoal

Para o professor e historiador Mário José Dias, a presença do Papa Francisco em Mianmar e Bangladesh tem um significado importante de apelo ao mundo para uma abertura profunda ao diálogo entre e com as pessoas independentemente de suas posições políticas, religiosas e sociais. “Esta é a única forma viável para vencer as violências instauradas, principalmente nesta região visitada pelo Papa Francisco, onde a desigualdade social é gritante, principalmente por conta do número de refugiados, das 30 mil crianças desabrigadas e órfãos tanto pelo abandono dos pais como da condição de apátridas”.

Embora seja uma minoria cristã, Dias acredita que a visita de Francisco aos países será marcante, principalmente pelo carisma do Papa, que trata a todos que se aproximam dele de forma simples e direta, e também pelo seu “testemunho de vida cristã autêntica”.

“As sementes serão lançadas e, acredito, que caberá a todos nós cristãos nos envolvermos para que elas possam crescer em terreno fértil movidos pela fé e pelo testemunho”, destaca.

Rohingyas

Um dos grandes desafios vivido nestes países refere-se à presença dos rohingyas em Mianmar. O grupo étnico muçulmano foi obrigado a fugir do país, em agosto deste ano, e se refugiar em Bangladesh, devido à perseguição de membros militares em Mianmar. Dias antes da chegada do Papa Francisco, os dois países fecharam um acordo para o retorno de mais de 600 mil rohingyas às suas casas, mas ainda há grande preocupação sobre a real segurança destas pessoas no país.

O historiador afirma que o problema é histórico e remete à ocupação da região tanto por grupos nômades como por religiosos, e se agravou durante a Segunda Guerra Mundial. Na ocasião, os japoneses invadiram o território britânico e criaram o Estado da Birmânia.

Ele lembra que a chegada dos rohingyas à Mianmar remonta a colonização inglesa do século XIX, por necessidade de mão de obra para trabalhar na região. O grupo étnico é considerado apatriado e, por isso, seus integrantes não são reconhecidos como cidadãos, apesar de vários apelos internacionais. “Acredito que com a visita do Papa Francisco estas questões voltem à mesa de discussão e possam ter desdobramentos positivos na busca à dignidade e valorização da pessoa em sua inteireza”, afirma professor Mário.

Desenvolvimento dos países

O historiador afirma que a conturbada história destes dois países elevam suas questões sociais e impactam na economia local. “Por adotar medidas protecionistas e de não adesão às causas humanitárias, estes países acabam adotando medidas de autossuficiência, isolando-os dos demais países. Essa economia fechada acaba por permitir o comércio ilegal e aumentar as desigualdades sociais, além de acumular uma dívida pública que inviabiliza ações de melhorias na qualidade de vida”.

Dias destaca ainda que a presença de milícias e a tentativa de uma “limpeza étnica” acabam por ampliar os desníveis sociais e impedir o avanço econômico da região. “Calcula-se, por exemplo, que cerca de 1000 estudantes foram mortos pelo regime nas décadas de 1980/90, por não concordarem com a condução política do país”.

O Papa Francisco permanece na região até o dia 2 de dezembro. Nesta 21ª viagem internacional, a terceira à Ásia, o Santo Padre irá percorrer mais de 17 mil quilômetros, com uma agenda que inclui encontros com a antiga Prêmio Nobel da Paz Aung San Suu Kyi, responsáveis políticos, líderes católicos e com o Conselho Supremo dos Monges Budistas de Mianmar. Além de um momento inter-religioso de oração pela paz.

.


.Os motoristas já têm suas regras e punições em casos de infração. A novidade agora é que, a partir do ano que vem, ciclistas e pedestres também serão autuados se não seguirem a nova resolução do Denatran. Quem comentou sobre o assunto com a TV Canção Nova foi nosso ex-aluno de Direito, o advogado Luca Cadalora. Confira:

https://youtu.be/hM46ypU0Mak?t=79.


.Você conhece alguém que já enfrentou ou enfrenta uma doença emocional? Nossa Aluna do Direito, Marina Oliveira, falou sobre o assunto e as formas para tratar o problema. A reportagem da TV CN tem ainda a participação de nossa ex-aluna de Psicologia, Claudia Caltabiano:

https://noticias.cancaonova.com/brasil/sintomas-corpo-surgem-de-dores-emocionais/.


.As instituições de ensino UNISAL, UNIFatea e USP, se reuniram em prol da literatura. O portal Semesp destacou esta iniciativa:

http://www.semesp.org.br/site/noticias/bibliotecas-do-unisal-unifatea-e-usp-se-reunem-em-consorcio/.


.O economista Humberto Felipe da Silva, professor do UNISAL, alerta os consumidores quanto aos possíveis problemas nas compras durante a Black Friday:

https://pt-br.facebook.com/ReporterSetorial/videos/1524709387576101/.


.

formação-em-direito-em-debate-paulo-sérgio-araújo-tavares-250x360

Refletir sobre o papel do profissional de Direito na sociedade: é este o principal anseio da mais nova obra da Editora Lumen Juris. O autor é nosso ex-aluno e atual docente Paulo Sérgio Araújo Tavares.

“Certamente os leitores, acadêmicos, professores e pesquisadores encontrarão nesta obra um amplo e profícuo debate acerca da evolução na formação em Direito, da Reforma do Ensino Superior e das Políticas Sociais Públicas relacionadas ao ensino e ao acesso ao Ensino Superior”, revela a página de divulgação do livro.

A publicação apresenta, com muita precisão, a importância do curso de graduação em Direito na formação profissional e pessoal, para que tal trajetória corresponda aos anseios da sociedade pós-moderna. E lança um questionamento sobre a função cabível ao graduado em Direito, que é a de abranger técnicas de interpretação e aplicação das normas em consonância com as Políticas Sociais Públicas.

Por último, destaca que o advogado e outros profissionais da área têm como desafio e missão atuar num cenário que, em muitos casos, apresenta ineficiência ou inércia do Estado, o que impõe ao operador do Direito uma atuação profissional baseada em valores humanos, sociais e éticos que busquem a plena efetivação dos direitos sociais e fundamentais.

A obra pode ser adquirida (R$60) pelo link https://lumenjuris.com.br/shop/direito/direito-civil/formacao-em-direito-em-debate-2017.

Sobre o autor

Paulo Sérgio Araújo Tavares é Procurador do Município e Consultor Jurídico. Mestre em Desenvolvimento Humano, Formação, Políticas e Práticas Sociais e especialista em Direito Empresarial, Direito Penal Econômico e Europeu e em Formação de Professores para a Educação Superior Jurídica. Professor do Curso de Graduação em Direito do UNISAL Lorena. Coordenador da Clínica de Direitos Humanos do UNISAL Lorena. Coordenador Adjunto do Programa de Pós-Graduação em Direito Público, com ênfase em Gestão Pública da Universidade de Taubaté-SP. Professor de cursos de graduação, pós-graduação e concursos públicos. Membro do Conselho de Pós-graduação em Desenvolvimento Humano, do Programa de Pós-graduação em Educação e Desenvolvimento Humano da Universidade de Taubaté/SP. Presidente da Associação dos Procuradores Públicos dos Municípios da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte – APMVALE.

.


Confira o artigo “A profundidade das simplificações realmente inovadoras: percepções e reflexões sobre o ambiente ágil de gerenciamento de projetos”, que aborda aspectos de inovação e liderança:

https://issuu.com/imprensaunisal/docs/artigo_reflex__es_simplifica____ogp

Autora: Prof.a Lic. Me, MBA, Miriam A. Specie

Revisão: Enga. Katya Marion Pereira, PMP

Palavras-chave: Gerenciamento ágil de projetos; Inovação; Liderança..


.A cada dia aumenta o número de pessoas no Ensino Superior, e instituições de ensino como o UNISAL ajudam essa estatística com bolsas próprias que são concedidas aos alunos. Veja mais na reportagem da TV Aparecida:

http://www.a12.com/tv/programas/tj-aparecida/cresce-o-numero-de-brasileiros-com-diploma-30-de-outubro-de-2017.


.A reportagem foi exibida no CN Notícias no dia 31 de outubro de 2017, e contou com nosso Ex-Aluno Rodolfo Rosa, egresso do Curso de Administração.
https://youtu.be/FZP06BqgwLc

 .