Núcleo de Educação Ambiental

A Política de Educação Ambiental visa solidificar o papel do Centro Universitário Salesiano de São Paulo, UNISAL, como defensor e difusor do meio ambiente, de todos os seus bens naturais e de consumo, com o objetivo de promover a ética e a cidadania ambiental.

A atenção aos problemas ambientais e a consciência ecológica envolvem diferentes segmentos da sociedade, particularmente setores industriais e comerciais, cujas políticas voltadas à gestão ambiental ganham espaço importante nos planos de gestão empresarial, organizacional e educacional.

Sabe-se que a degradação ambiental e a injustiça social, geradoras de diversos problemas entre os povos, apresentam-se como principais componentes da crise planetária. Decorre, dessa situação, a mudança climática, o aquecimento e os problemas socioambientais globais, o que reforça, ainda mais, o papel transformador e emancipatório da Educação Ambiental, a fim de que, com base na realidade atual e em seu marco legal, possa-se fortalecer a defesa e a promoção da vida, em geral.

No Brasil, a preocupação e efetivação de políticas para o meio ambiente surgiu em 1981, com a Lei n.o 6.938, que anuncia o princípio para a preservação, melhoria e recuperação da qualidade ambiental: “educação ambiental a todos os níveis de ensino, inclusive a educação da comunidade, objetivando capacitá-la para participação ativa na defesa do meio ambiente” (inciso X do artigo 2.o). Nos anos seguintes, reformas e ações na gestão das políticas públicas e nacionais foram realizadas. Tal preocupação também é resultado do cenário internacional de risco e proteção ambiental e desenvolvimento sustentável, como a criação do “Estudo da Proteção da Natureza no Mundo”, organizado pela União Internacional para a Conservação da Natureza, em 1951, a “Primeira Conferência Intergovernamental sobre Educação Ambiental”, organizada pela UNESCO em parceria com a ONU, em 1977, entre outros.

Faz parte da Identidade das Instituições Salesianas de Ensino Superior (IUS) a promoção de uma consciência ético-ambiental que desenvolva, particularmente, os valores relativos à justiça, à solidariedade e à sustentabilidade do meio ambiente. A construção dessa consciência reforça o propósito de inserção de princípios de sustentabilidade ecológica no âmbito das atividades da Instituição, cuja missão de educar para a vida é sentida em todas as ações. A colaboração para a mudança de atitude frente à necessidade de minimizar os problemas ambientais faz parte do processo educacional humanista do UNISAL, para o qual os princípios éticos, cristãos e salesianos estão atrelados ao compromisso social e ambiental em sua totalidade (PDI, 3.1.2).

Nesse horizonte, esta Política de Educação Ambiental visa implementar o trabalho social e político de defesa e preservação do meio ambiente e, com isso, qualificar toda a comunidade acadêmica para a promoção da sustentabilidade em todas as suas ações.

Preservar e defender o meio ambiente e todos os seus recursos naturais e sustentáveis, visando a condições socioambientais de qualidade para a sobrevivência, conforme padrões legais e regulamentares e, com isso, conquistar a valorização, a proteção e a sustentabilidade da vida em geral.

Com base no que dispõem os fundamentos e o objetivo geral desta Política, são objetivos específicos da Educação Ambiental a serem observados conforme cada fase, etapa e modalidade:

  • promover a compreensão integrada e multidimensional do meio ambiente em suas complexas relações;
  • garantir a democratização e o acesso à informação referente à área socioambiental;
  • estimular a mobilidade social e política e o fortalecimento da consciência crítico-reflexiva sobre a dimensão socioambiental, por meio de estudos filosóficos, científicos, socioeconômicos, políticos e históricos;
  • estimular a participação individual e coletiva para a preservação e valorização do meio ambiente e de todos os seus recursos naturais;
  • despertar a sociedade para o compromisso com o equilíbrio e a qualidade ambiental;
  • proporcionar análises sobre as desigualdades socioeconômicas e seus impactos ambientais, assim como a proteção e o respeito das comunidades;
  • fortalecer, por meio de valores éticos, a integração entre ciência e tecnologia, em prol do conhecimento e da sustentabilidade socioambiental;
  • fortalecer os valores da solidariedade, da liberdade, da diversidade, da justiça e da dignidade humana a favor da cultura da paz e da sobrevivência do ecossistema;
  • educar para o cuidado e responsabilidade das diversas formas de vida;
  • valorizar e divulgar as iniciativas de culturas e grupos sociais, de preservação da biodiversidade;
  • proporcionar a construção da cidadania planetária, na perspectiva crítica de preservar a atual geração e também as futuras.

Para a efetivação desta Política, em prol da preservação da qualidade ambiental, da manutenção do equilíbrio ecológico e do cuidado com a vida em geral, se propõe:

  • implantar, como prática educativa interdisciplinar e transversal, a Educação Ambiental nos cursos, programas e projetos de graduação, pós-graduação e extensão;
  • implantar, na formação inicial e continuada dos profissionais da educação, a dimensão socioambiental, ao considerar a consciência e o respeito à diversidade multiétnica e multicultural do país;
  • incorporar, respeitando-se o critério da coerência, nos cursos de especialização técnica e profissional conteúdo que trate da ética socioambiental das atividades profissionais;
  • sustentar a gestão e as ações de ensino, pesquisa e extensão orientadas pelos princípios e objetivos da Educação Ambiental;
  • incentivar a formação complementar em Educação Ambiental dos professores, colaboradores e alunos do UNISAL;
  • fomentar projetos e atividades, inclusive artísticas e lúdicas, que demostrem a necessidade do cuidado com o meio ambiente e sua real valorização, na tentativa de produzir uma consciência de pertença da pessoa à natureza;
  • assegurar a discussão sobre os princípios da sustentabilidade no âmbito de cada projeto pedagógico e atender aos princípios de sustentabilidade da Instituição;
  • oferecer cursos de Extensão e/ou Lato Sensu que favoreçam a formação de educadores ambientais;
  • desenvolver ações sobre a Educação Ambiental em conformidade com as políticas públicas, em especial com aquelas que dizem respeito à Educação Ambiental;
  • contribuir com a manutenção do equilíbrio ecológico, considerando patrimônio público o meio ambiente a ser necessariamente assegurado e protegido, tendo em vista o bem comum;
  • conscientizar para a racionalização do uso dos recursos naturais, como o solo e a água;
  • potencializar, por meio de debates e campanhas, a proteção do ecossistema, com a preservação de áreas representativas, conforme estabelecido em lei;
  • incentivar a pesquisa sobre os problemas ambientais, suas causas e consequências;
  • incentivar o estudo de tecnologias orientadas para o uso racional e para a proteção dos recursos ambientais;
  • apoiar projetos de desenvolvimento científico, tecnológico e inovador, de interesse estratégico, aplicados às questões ambientais;
  • estimular ações de prevenção à poluição, assim como a minimização dos resíduos, por meio de reutilização, reciclagem, redução e recuperação;
  • promover o trabalho efetivo do Grupo de Trabalho de Política Ambiental ao gerir, acompanhar e avaliar ações de Educação Ambiental no UNISAL, com foco na preservação do meio ambiente e na construção de sociedades sustentáveis.

Ana Claudia Tresmondi

Ir. Eduardo Toledo de Melo

Helio Bassaeli

Moacir Pereira

Pe. Roque Luiz Sibioni 

Pe. Ildefonso Mesquita Leite

Ir. Vitor Aladic de Melo

Cartilha Consumo Consciente Pague Menos (.PDF)
Educação Ambiental, Étnico-racial e em Direitos Humanos: Perspectivas para uma formação integral
Educação Ambiental, Étnico-racial e em Direitos Humanos: Políticas Públicas e Ações Afirmativas
Educação Ambiental, Étnico-racial e em Direitos Humanos: Questões Desafiadoras