Protagonismo: aluna UNISAL é a primeira mulher com cargo de liderança na linha de produção da empresa em que trabalha

Publicado em: 12/03/2021

Como Supervisora de Produção, nossa aluna egressa assumiu uma equipe onde 90% dos colaboradores são homens

Alessandra Camargo, aluna egressa do curso de Engenharia de Mecânica do UNISAL, Unidade Lorena, Campus São Joaquim, conquistou um importante cargo na empresa onde trabalha há 14 anos.

Ela é a primeira mulher à frente da supervisão de uma linha de produção na empresa Maxion Structural Components, Unidade Cruzeiro, assumindo a linha de Montagem GMI e Laser. Sempre muito curiosa e determinada, Alessandra conta que desde cedo soube que estudaria engenharia, e que o acolhimento no UNISAL fez com que seu sonho de Graduação fosse realizado.

“Eu havia parado de estudar por falta de tempo e ânimo e, no UNISAL, fui muito bem acolhida por todos, desde a matricula até a formatura. A interação e dedicação de todos foi com certeza o impulso que eu precisava. Escolhi o UNISAL por ser, na minha região, a faculdade privada mais conceituada em corpo docente, e que consegue nos preparar para a realidade do mercado de trabalho, ajudando muito na carreira e, consequentemente, no crescimento”, afirmou Alessandra.

A área de Engenharia, conforme dados de pesquisas, é a que menos recebem mulheres para atuarem profissionalmente. Há, claro, uma mudança nesse cenário, e Alessandra sabe dos desafios que enfrentou e enfrentará, mas está certa de que agora, ocupa seu lugar.

“Por muitas vezes eu fui a “minoria”. Poucas mulheres escolhem ir para área de “mecânica” (já imaginamos que é só graxa né, rs), mas acabam se surpreendendo com o tamanho do aprendizado que podemos adquirir e onde podemos chegar igualmente. Infelizmente, ainda é um índice muito pequeno, principalmente no que diz respeito a “chão de fábrica” e liderança. Ainda existe muito enraizada a cultura que as mulheres só devem ser encaminhadas para setores administrativos”, contou Alessandra.

Março é mundialmente celebrado como o mês da mulher. Ao longo dos anos, os debates sobre direitos, igualdade, equidade, e espaço no mundo do trabalho têm ganhado mais força, não apenas no 8 de março, mas em pautas de políticas públicas, sociais e de profissão.

No UNISAL, o incentivo ao protagonismo de todas as alunas e alunos faz parte do DNA, sendo baseado no Sistema Preventivo de Dom Bosco. Todos os alunos têm em si condições de ir além e conquistar seus sonhos, e o UNISAL oferece estrutura, docentes qualificados e projetos bem alinhados com o mundo do trabalho e o perfil do aluno egresso.

Alessandra conta que iniciou sua experiência profissional na Maxion Structural Components como estagiária, e que foi um choque de realidade, pois, não haviam estagiárias na produção.

“Fui efetivada e, com o tempo, ganhei o respeito profissional de todos. Sempre deixei muito claro, com minha postura e respeito, que eu era uma profissional e colega de equipe, e todos deveriam me tratar como tal, desconsiderando o fato de ser mulher ou não”.

Ela diz, também, que sempre buscou mais conhecimento e aperfeiçoamento em cada novo cargo que ocupava. Pesquisas e estudos, tudo por conta própria para crescer profissionalmente. A partir dessa evolução, foi convidada para o setor de Engenharia de Desenvolvimento e Protótipos, onde adquiriu mais conhecimentos, aplicando aos processos produtivos e recebendo o reconhecimento da empresa.

“Por causa desse reconhecimento, após participar de um processo seletivo feito por uma equipe multidisciplinar muito competente, fui aprovada e convidada a ocupar o cargo de Supervisora de Produção, assumindo, com muita humildade e orgulho, uma equipe bem grande, onde 90% são homens”, compartilhou.

Impactar outras mulheres e mostrar que é possível conquistar todos os espaços e ocupar cargos, antes tidos como exclusivamente masculinos, é muito importante para a sociedade. A Alessandra sabe disso, e além de continuar buscando especializações e aperfeiçoamento, deseja ser referência para outras garotas e mulheres, desde aquelas que estão iniciando a vida no mundo do trabalho, ao escolher a faculdade, até quem já se formou, e ainda sonha em ocupar seu lugar.

“Busco, agora, ser uma líder espelho, sempre levando a bandeira da igualdade, independentemente de serem mulheres ou homens. Em uma empresa metalúrgica, onde por muitas vezes o gênero é colocado como fator determinante, ser reconhecida pela capacidade, dedicação e postura profissional, já é, por si só, um incentivo a outras mulheres. É preciso estimular a valorização, o incentivo ao estudo e à educação de valor. Que mais mulheres possam pensar ‘se ela conseguiu eu também posso’ ”.

O recado mais importante, neste mês que comemora o Dia Internacional da Mulher, na opinião de Alessandra é “gênero não define um bom profissional. No mundo corporativo devemos nos destacar por nossas habilidades e conhecimentos, nunca pelo nosso gênero”, concluiu.