Ex-aluno de Mestrado do UNISAL ingressa em Doutorado na Itália

Publicado em: 05/09/2019

O ex-aluno do Programa de Mestrado Acadêmico em Direito do Centro Universitário Salesiano de São Paulo — UNISAL, Felipe Rotta Marquette, foi aceito no Programa de Doutorado da Università di Pisa em Ciência Jurídica.

Após concluir a dissertação do Mestrado no UNISAL, Unidade Lorena, em dezembro de 2018, e obter nota 10 no trabalho, cujo ele não pensou duas vezes para realizar um sonho antigo: o Doutorado.

“O mestrado me proporcionou um nível de conhecimento elevado, não somente pelo apoio e condução exemplar dos professores, como também pela partilha de conteúdo e da amizade dos colegas de classe”, revela Felipe.

E foi, justamente, esse ambiente intenso com grandes referências em diversas áreas, que o possibilitou a buscar a internacionalização do Direito. Na Itália, o brasileiro fará o Doutorado em “Concretização dos Direitos Sociais, Difusos e Coletivos – Direito Sociais Econômicos e Culturais”.

Quando o egresso pensa na participação do UNISAL em sua vida, palavras de gratidão não faltam.Parágrafo

“ O UNISAL teve um papel muito importante na minha aprovação, sou eternamente grato a todos os professores do Mestrado e funcionários por estarem sempre à disposição e por compartilharem o bem mais precioso que é o conhecimento. E claro, menciono aqui o meu exemplo de dedicação ao mundo acadêmico tanto em sala de aula quanto em pesquisas:  minha mãe, Ana Maria Viola de Sousa, que sempre me apoiou e me deu forças e estrutura para conseguir chegar onde estou hoje”, compartilha.

PROCESSOS PARA A CONQUISTA DA BOLSA DE DOUTORADO

Felipe participou de alguns processos seletivos para Doutorado na Europa.  “Há diversas Universidades Italianas, as quais oferecem os editais para convocação e seleção para as bolsas de Doutorado. Fiz uma pesquisa minuciosa e também o planejamento dos editais, em seguida, participei de diversos processos na região e escolhi a Itália”.

Felipe foi aluno de Mestrado em Direto no UNISAL

Nessa trajetória, ele desenvolveu três teses, sempre com a linha de pesquisa que pudesse levar a assuntos amplos na área de Direito internacional e empresarial. Os processos, geralmente, contam com as seguintes etapas: avaliação de currículo de pesquisa, análise da tese, e apresentação do projeto de tese. Em alguns casos, na segunda fase, é aplicada também a prova escrita.

O ingresso para a Universidade de Pisa foi um presente na vida de Felipe, que avalia que todo o seu histórico acadêmico contou muito para a aprovação.  Foi analisado o percurso acadêmico, as publicações e o projeto de pesquisa em que ele consegui a maior nota do concurso, colocando-se assim na segunda fase.  

Com o projeto de pesquisa: A relevância da arbitragem intra-corporativa na Itália e Brasil: similaridades e distinções, Felipe foi o último candidato a ser entrevistado. “ Em poucos minutos tive que levantar os principais pontos do projeto de pesquisa e demonstrar a minha qualidade e bagagens adquiridas como pesquisador advindas do mestrado em Direito e da vida prática como advogado. A entrevista foi em inglês, mas também demonstrei domínio sobre a língua italiana como diferencial”, revela.

O resultado foi divulgado no mês de julho, mas o ingresso será em novembro de 2019. A partir daí serão três anos de muita pesquisa e engajamento no Doutorado.

“Para me acostumar cada vez mais à cultura e à língua, já estou aqui na Itália juntamente com minha esposa Jessica Rotta, que é advogada e irá fazer o mestrado na mesma universidade na área de Inovação do Direito Empresarial Internacional. Seu apoio e esforço para fazer o mestrado na mesma faculdade que irei fazer o doutorado foram essenciais, assim como seu incentivo para que eu aprendesse a língua italiana desde o início do ano, o que foi meu diferencial durante a entrevista”, destaca Felipe.