Conscientização sobre autismo é meta de ex-aluna do UNISAL em Lorena

Publicado em: 28/04/2019

1 seminario de Autistmo de Lorena no UNISAL

A Psicóloga Maria Fernanda Silva, ex-aluna do Centro Universitário Salesiano de São Paulo — UNISAL, Unidade Lorena, leva consigo a missão salesiana que aprendeu quando ainda estudava, o compromisso de aplicar, em cada espaço que ocupa, os ensinamentos de Dom Bosco de amor ao próximo.

Entre seus projetos está a iniciativa de conscientização sobre o autismo na cidade de Lorena, realizando palestras, caminhadas e seminários, em parcerias importantes, como do Instituto Cacau — Centro de Apoio à Criança e Adultos com Autismo —  que tem a missão de atender pessoas com

EMaria Fernanda ex_aluna _UNISAL_Autismom 2019 Maria Fernanda já mobilizou veículos de comunicação para que colaborem na divulgação das iniciativas, e encontra apoio de muitas pessoas preocupadas com a causa, dentre elas a jornalista Grazi Staut. Neste primeiro semestre, a ex-aluna UNISAL organizou uma caminhada de conscientização, que contou com a participação de dezenas de pessoas e com o apoio de parceiros importantes, como a Prefeitura de Lorena e a Câmara Municipal.

O UNISAL também tem sido parceiro, e recebeu o 1º Seminário de Autismo de Lorena, realizado em 27 de abril, no Teatro São Joaquim, reunindo cerca de 400 pessoas. A programação – 100% gratuita – reuniu profissionais renomados, ativistas, familiares e autistas de todo o Brasil. 

“As estatísticas são preocupantes, e o número de crianças diagnosticadas com autismo tem sido crescente. O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é caracterizado por alterações significativas na comunicação, na interação social e no comportamento”, explica a psicóloga Maria Fernanda.

Ainda de acordo com Maria Fernanda, para que a criança autista tenha a oportunidade de desenvolver plenamente suas potencialidades, é fundamental o diagnóstico precoce e o tratamento adequado. No entanto, ainda falta muita informação tanto para famílias que já possuem diagnósticos fechados, quanto para aquelas que precisam estar atentas à necessidade de buscar ajuda profissional.

“Somente no Brasil, estima-se que existam, hoje, mais de dois milhões de brasileiros autistas. Diante dessa realidade, a sociedade precisa se preparar, e precisamos nos unir para que cada vez mais a informação correta chegue a quem precisa de apoio”, finalizou.