V Seminário Internacional IUS Education Group no UNISAL

Em 17 de setembro de 2018 teve início o V Seminário Internacional IUS Education Group, que será realizado em três dias consecutivos no UNISAL – Unidade São Paulo/Campus Pio XI, com o tema “Os Jovens e os Direitos Humanos – Por uma Ética da Confiabilidade”.

O evento reune instituições salesianas (universidades, faculdades e departamentos) que integram o IUS Education Group, em assembleias que se realizam a cada quatro anos – a anterior ocorreu em 2014 na cidade de Veneza, na Itália. Desde então, cada uma das instituições componentes têm estudado o tema em pesquisas, workshops, seminários e cursos, para que nesta quinta edição do encontro haja uma reflexão conjunta a partir das atividades anteriormente desenvolvidas pelos participantes, vindos de diferentes regiões do Brasil e também da Itália, Equador, Chile, Índia, Japão e Espanha.

A solenidade de abertura do Seminário foi conduzida pelo Pe. Eduardo Capucho (Reitor do UNISAL) e Sabino de Juan Lópes (do CES Dom Bosco de Madri, Coordenador dos trabalhos do IUS Education Group), antecedendo a primeira conferência da programação, “Juventude e Direitos Humanos: Urgências Educativas”, com o Pe. Marcelo Farfán (IUS – Roma).

Farfán apresentou um panorama dos desafios enfrentados pelos jovens nas diversas partes do mundo, e como enfrentá-los do ponto de vista antropológico, cultural, social, pedagógico e teológico. Relembrou a importância do próximo Sínodo dos Bispos, que acontecerá de 3 a 28 de outubro deste ano com a temática “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, tornando-se outra oportunidade para a troca de experiências e a busca de novas formas de compreender os jovens e seu mundo.

Em seu segundo dia de programação (18/09), o V Seminário Internacional IUS Education Group promoveu duas mesas-redondas, a primeira delas sobre “Os Direitos Humanos entre os Jovens: Percepção da Realidade”, iniciada por Arduino Salatin, da IUSVE de Veneza (Itália). Para a discussão, os participantes apresentaram diferentes aspectos de seus países de origem e das instituições de ensino em que atuam, compartilhando com os participantes como são vistos os direitos humanos em diferentes contextos.

Jose Palely, Diretor do Don Bosco College de Golaghat Assam (Índia), apresentou alguns aspectos que compõem a cultura indiana na modernidade, como a herança religiosa, a relação com a natureza, crescimento e disparidade, mercado, democracia, socialismo e barbarismo, e principalmente como estas questões são apreendidas e vivenciadas pelas novas gerações.

Por sua vez, Sonia Koehler, docente e Coordenadora do Observatório de Violências nas Escolas do UNISAL, apresentou a metodologia e os resultados de uma pesquisa realizada com os licenciandos da Unidade Lorena/São Joaquim. O objetivo do estudo foi compreender como os jovens percebem os conceitos de direitos humanos e da justiça, principalmente na convivência escolar condicionada pela graduação em andamento, e como os assuntos tratados em teoria se convertem ou não em práticas pessoais e/ou profissionais.

Após debate sobre o primeiro ciclo de palestras, a segunda mesa-redonda do dia focou a temática “Os direitos humanos entre os jovens: interpretação da realidade”, também privilegiando a bagagem e a vivência das diferentes nacionalidades dos participantes. O primeiro participante foi Sabino de Juan Lópes, do Centro de Enseñanza Superior en Humanidades y Ciencias de la Educación (CES) de Madrid (Espanha). Luis Marques, da Tokyo Salesian Polytechnic (Japão), compartilhou diferentes aspectos da cultura asiática e como eles se relacionam com a juventude. E Pe. Ronaldo Zacharias, Coordenador do curso de Pós-Graduação em Educação em Sexualidade do UNISAL e Secretário da Sociedade Brasileira de Teologia Moral, destacou os desafios a serem enfrentados pelas instituições de Educação Superior, destacando que os problemas que enfrentam acometem todo o mundo, interferindo e por vezes impedindo que direitos fundamentais sejam assegurados. E embora o cenário global tenha tantas adversidades a enfrentar, aos educadores cabe não só a esperança, mas também um papel fundamental para promover as mudanças que o mundo precisa.

Em breve divulgaremos as fotos do terceiro e último dia de Seminário.