“Para uma Educação Antirracista no UNISAL”: cartilha desenvolvida por alunos foi lançada no Dia da Consciência Negra

Publicado em: 03/12/2020

Alunos do Centro Universitário Salesiano de São Paulo – UNISAL, que fazem parte do Núcleo de Educação Étnico-Racial,  produziram a cartilha “Para uma Educação Antirracista no UNISAL”, que foi lançada no Dia da Consciência Negra, 20/11, durante o Ciclo de Debates: Educação das Relações Étnico-Raciais, com transmissão ao vivo no canal da Extensão do UNISAL, no YouTube.

A ideia da cartilha partiu do Diretor Operacional, Prof. Marcelo Scudeler, e ao explicar sobre a cartilha desenvolvida, destacou a importância de ser um material com a linguagem simples e acessível a todos.

Professores que coordenam o Núcleo de Educação Étnico-Racial do UNISAL e o
Diretor da Unidade Americana

Na abertura do evento, o coordenador do Núcleo, Prof. Dr. Francisco Evangelista deu as boas- vindas aos presentes. Prof. Marcelo Scudeler, Diretor Operacional da Unidade Americana, Prof. Dr. Antonio Wardison, Pró-reitor de Extensão, convidada Profa. Ma. Lucineia Chrispim Micaela, convidada da noite, e os docentes que fazem parte das coordenações dos Núcleos nas Unidades: Profa. Regiane Hilkner (Americana), Profa. Maísa Ribeiro (Campinas), Prof. Antonio Tadeu de Miranda Alves (Lorena).

Os coordenadores que compõem o Núcleo, acompanharam o desenvolvimento do material, que foi integralmente produzido pelos alunos, de maneira protagonista.

Profa. Luci Chrispim Pinho Micaela

Convidada para o evento, a Profa. Luci Chrispim Pinho Micaela, que já foi docente do UNISAL e hoje participa do Grupo de Estudos da Unidade Campinas, falou sobre a importância de alunos bem preparados para a construção crítica dentro do espaço acadêmico. “É muito valioso trocar conhecimentos junto ao grupo de Estudos, pois, são alunos leitores assíduos, astutos, críticos e produtores de conhecimento. E através desse grupo estamos pensando, criando, elaborando, intervindo e ressignificando a nossa própria história”.

Ao longo do evento, reflexões foram levantadas sobre os acontecimentos relacionados aos crimes de racismo no Brasil e no mundo, com a participação de alunos, docentes e demais participantes que acompanharam a transmissão, com aproximadamente 900 pessoas conectadas.

Prof. Francisco Evangelista – Coord. Núcleo

De acordo com o Prof. Francisco Evangelista, é preciso combater o racismo, o preconceito e a discriminação em todos os lugares, incluindo o universitário. “O propósito do Núcleo é trazer essas questões para o campo reflexivo com o propósito de sensibilizar a comunidade acadêmica para o racismo estrutural e institucional, presentes na realidade brasileira. São questões urgentes, que precisam ser discutidas e revistas”, apontou.

Os alunos do UNISAL, integrantes do Núcleo de Educação Étnico-Racial participam de maneira espontânea e voluntária dos grupos de estudos oferecidos pela instituição. É por meio de diálogos, ações, leituras de livros e documentos, que a construção do conhecimento e do senso crítico se estabelece entre os alunos.

A produção da Cartilha para Uma Educação Antirracista no UNISAL foi mais um passo significativo desses alunos, que escrevem seu presente e futuro de maneira protagonista, humanística e com olhar social, aproveitando todas as suas capacidades, habilidades e a formação profissional.

O Núcleo das Relações Étnico-Raciais tem uma ação muito efetiva no UNISAL e tem um papel importante na formação integral, integral do aluno e na responsabilidade com a promoção do próprio humano, no campo dos valores, do bem-estar e da cultura, que é a expressão do trabalho humano, da criatividade, dos hábitos e das crenças que, entre outros atributos, compõem um grupo social”, declarou o Prof. Dr. Antonio Wardison, Pró-reitor de Extensão e Pastoral do UNISAL.

Confira o depoimento dos coordenadores dos Núcleos nas Unidades:

“A construção deste material representou, para mim, um misto de sentimentos. De um lado a indignação de, em 2020 ser necessária a presença de um guia que ensine o ser humano a ser humano, mas de outro a certeza de que este material representa o olhar de uma instituição de ensino que luta pela promoção da igualdade e repudia todo tipo de racismo e discriminação”.

Profa. Regiane Hilkner – Professora nas Unidades de Campinas e Americana e coordenadora do grupo de estudos do Núcleo de Educação das Relações Étnico-Raciais, em Americana.

“Esses trabalhos integram ensino, pesquisa e extensão e é resultado de um intenso trabalho, principalmente dos estudantes do núcleo de Educação Étnico-Racial do UNISAL, que os conteúdos e reflexões que construímos sejam efetivadas no cotidiano das relações e ações de toda a comunidade interna, para que tenhamos de fato uma educação e prática antirracista”.

Profa. Maisa Elena Ribeiro – Professora e coordenadora do grupo de estudos do Núcleo de Educação das Relações Étnico-Raciais – Unidade Campinas

“As atividades que o Núcleo de Educação das Relações Étnico-Raciais tem realizado, entre elas a ‘Cartilha para uma Educação Antirracista’, são verdadeiras provocações para a conscientização sobre questões urgentes, e revelam um processo irreversível de transformações”.

Prof. Antonio Tadeu de Miranda Alves – Professor no Curso de Graduação – Licenciatura em História. Coordenador do Núcleo de Educação das Relações Étnico-Raciais – Unidade de Lorena. Projeto PRETA – Grupo de Estudos

Confira o depoimento dos participantes na cartilha:

UNIDADE AMERICANA

“Como uma mulher preta, sigo na luta diária de combate ao preconceito racial. A voz dada a cada um de nós, nunca mais será silenciada. Para mim o tudo o que foi escrito é símbolo de resistência e uma quebra de barreiras sem precedentes. Não basta simplesmente não ser racista, é preciso ser antirracista”.

Maria Eduarda Ozório Lu – Aluna de Pedagogia.

“Sou um pequeno grão de areia nessa missão, mas acredito que, juntos, por meio da educação e conscientização, conseguiremos construir uma sociedade mais justa, solidária e igualitária, eliminando toda e qualquer forma de preconceito ou discriminação”.

Celina Miamoto – Aluna egressa do Curso de Pedagogia e Psicopedagogia.

“Foi um privilégio poder contribuir na construção desse importante documento de conscientização e luta contra o racismo.

Flávio Rossi – Professor e coordenador de Extensão no UNISAL.

“Vejo que praticas extensionistas desse jaez são aquelas que efetivamente transformam e educam a sociedade para um mundo melhor”.

Cesar Babler – Aluno do Mestrado em Educação Sociocomunitária.

“Participar desta cartilha antirracista representou abolir do ventre acadêmico a possibilidade de manter a cor da pele como protagonista”.

Denize Ramos, membro do Núcleo, como representante da sociedade civil. Historiadora e pesquisadora.

UNIDADE CAMPINAS:

“Para além das questões que nos implicam, estamos utilizando de recursos metodológicos e científicos, além da historicidade do racismo estrutural e institucional no Brasil, e construindo pontes de compressão e combate dentro e fora do UNISAL”.

Amanda Frazão – Aluna de Psicologia.

“Foi transformador. Poder falar sobre a população negra, as políticas públicas e principalmente sobre a importância da promoção da equidade no SUS, mostra que é possível construir um modelo democrático e participativo na área da saúde no país, garantindo o direito mais fundamental do ser humano, o direito à vida! E vidas negras importam!”

Ana Carolina Silva dos Santos – Aluna de Psicologia.

“Considerando todo o trajeto histórico apontado nos encontros do grupo de Relações Étnico-Raciais, tornou-se nítido a supervalorização do branco em detrimento dos negros. Partindo dessas reflexões, percebi o quanto é difícil e doloroso “quebrar” essa cultura racista, que é cotidianamente replicada em atitudes tidas como normais. Por isso, a escrita do capítulo me fez refletir sobre as inúmeras vezes em que precisaremos parar, pensar e analisar as nossas ações para com os outros e, sem dúvidas, na maneira com que auxiliamos, em certo nível, na propagação desse racismo enraizado”.

Carla Rayane dos Santos- Aluna de Psicologia.

 “Para mim foi uma honra participar deste projeto, que me fez ter um novo olhar sobre o conceito de racismo, frases racistas, foi muito enriquecedor”

Carlos Albino Ferreira da Cruz – Estudante de Letras, convidado.

“Foi uma experiência incrível trabalhar temas que são de suma importância diante da sociedade racista na qual vivemos, abordando os temas raciais para dentro da universidade. ”

Giovanna Gobira de Macedo – Aluna de Psicologia.

“Inicialmente, eu achei que o grupo de estudos do núcleo Étnico-Racial, fosse ser um espaço de atividades extraclasse, assim como outros que já havia participado. Porém, esse grupo tem trazido desdobramentos para além da esfera acadêmica. Os processos de construção por meio dos estudos, reflexões e ações tem me transformado na esfera pessoal, me ajudando a identificar o meu papel na luta antirracista. Desejo que os desdobramentos do grupo, possam continuar ressoando e contribuindo para o processo de mudança na sociedade frente as questões étnicos-raciais.”

Helena Maia Braga – Aluna Psicologia.

“A jornada de autoconhecimento e reafirmação da identidade étnico-racial é marcada por momento memoráveis. Para mim, poder contribuir de algum modo para com o Movimento Negro e a Pauta Étnico-Racial é uma dádiva, e compartilhar esse conhecimento com mais pessoas é uma grande oportunidade que eu fico muito feliz de poder desfrutar com as pessoas incríveis que trabalharam na elaboração dos materiais do Núcleo das Relações Étnico-Raciais! É a união e a coletividade que tornam nossos feitos como grupo, muito especiais! ”

Rafael Felipe Oliveira da Silva –  Aluno de Psicologia.

UNIDADE LORENA:

“O Núcleo de Educação das Relações Étnicos-Raciais do UNISAL me permitiu realizar alguns sonhos e abriu portas para outros. Agradeço a todos que fizeram essa experiência possível. Essa cartilha é um passo na direção certa para romper com barreiras da nossa sociedade”.

Carolina Maria Motta Cassiano dos Santos. Aluna de História e integrante do Projeto PRETA – Grupo de Estudos.

 “Através da educação e conscientização, poderemos construir uma nova sociedade e esse é o espírito do Núcleo de Educação das Relações Étnico-Raciais do UNISAL. Eternamente grata pela experiência e ensinamentos”.

Maria Eduarda Castilho do Carmo. Aluna de História e integrante do Projeto PRETA – Grupo de Estudos.

“O Núcleo de Educação das Relações Étnicos-Raciais do UNISAL tem proporcionado um contato extremamente importante com a área de pesquisa, e me faz perceber como podemos compreender melhor o passado e transformar o futuro com informação, clareza e coerência. ”

Vitória dos Santos Castilho. Aluna de História e integrante do Projeto PRETA – Grupo de Estudos.