Unisal - Centro Universitário Salesiano de São Paulo Imprensa / Clipping

16 jun

Copa e tecnologia

.Quais as tecnologias implantadas nos estádios, na infraestrutura das cidades e na mobilidade das pessoas?

Prof. Me. Silvio Renato Messias de Carvalho*

Grandes eventos esportivos como Olimpíadas e principalmente a Copa do Mundo trazem consigo grandes saltos na evolução tecnológica. E a Copa do Mundo 2014 no Brasil não será diferente.

Para a transmissão de um evento destas proporções será montado o Centro Internacional de Coordenação de Transmissão (IBCC, na sigla em inglês) para captar o sinal dos jogos e fazer a transmissão internacional para emissoras de mais de 200 países que adquiriram direitos de mídia da FIFA. Neste centro também é feito o controle de qualidade de produção para que os jogos tenham o padrão FIFA de qualidade. Em termos de transmissão o diferencial desta copa será a captação e produção de alguns jogos na resolução 4k. A resolução 4k, também chamada de Ultra HD, supera em quatro vezes a nossa conhecida resolução Full HD da televisão digital. É uma resolução para grandes telas, acima de 60 polegadas. Porém não poderá ser vista na transmissão da TV aberta porque o sistema de TV digital brasileiro não comporta tal resolução. Talvez alguma operadora de cabo possa oferecer para seus assinantes o sinal Ultra HD, porém será necessário ter um decodificador apropriado na recepção. Câmeras para captação 4k podem capturar até 900 frames por segundo o que significa uma super câmera lenta ou ultra slow motion. A TV estatal japonesa NHK pretende ir além e fazer testes de captação na resolução 8k, uma resolução dezesseis vezes maior que a resolução Full-HD.

No âmbito da telefonia celular, pelo menos no entorno dos estádios é esperado estar disponível o serviço de telefonia em 4G para que se possam viabilizar as redes sociais em alta velocidade e demanda.

Possivelmente, a tecnologia também invadirá o campo de jogo: talvez seja disponibilizado pela FIFA sensores na bola do jogo e nas traves dos gols para que se possa dirimir qualquer dúvida se a bola entrou ou não.

Na parte de segurança serão utilizadas câmeras de alta resolução que podem identificar o rosto de pessoas na arquibancada ou em pontos estratégicos. O uso de tais câmeras será feito a partir de um centro de monitoração de segurança dentro e no entorno do estádio e as imagens estarão disponíveis à autoridade policial, quase simultaneamente, caso precisem ser recuperadas.

O mesmo ocorre com as catracas eletrônicas, que gravarão as imagens dos rostos dos torcedores e cruzarão estes dados com sua cadeira no estádio a partir da leitura do ingresso de entrada. Foram-se os tempos do “Sorria você está sendo filmado”.

São esperados painéis de LED de dimensões gigantescas tanto fora dos estádios quanto dentro. Como exemplo tem sido noticiado um painel LED na Arena Corinthians com as colossais dimensões de 170 metros de comprimento por 20 metros de altura.

A alta definição também promete melhorar a qualidade dos telões dos estádios possibilitando a sensação de imersão na cena com fantásticos ‘replays’ em ‘slow motion’.

Estes eventos ajudam a consolidar novas ideias que se tornam mais populares e acessíveis ao grande público, tornando o dia a dia cada vez mais tecnológico.

*Prof. Me. Silvio Renato Messias de Carvalho – Professor dos Cursos de Engenharia do UNISAL Campinas/ Saõ José..

Comentários

0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Leia Também