Pra Sempre UNISAL | Ex-Alunos
ex-aluno-rh-logistica (7)

Formatura realizada em agosto graduou 12 profissionais.

Sempre é tempo de repensar o futuro. Os concluintes dos Cursos de Tecnologia do UNISAL não têm dúvidas disso. No dia 8 de agosto 12 profissionais receberam o selo do UNISAL e, agora, estão aptos a seguir no mercado de trabalho nas áreas de Recursos Humanos e Logística.

A cerimônia contou com alguns ritos tradicionais que emocionam e, ao mesmo tempo, homenageiam aqueles que se dedicaram tanto para concluir os estudos.

Na composição da mesa, estiveram presentes a Diretora Operacional, Grasiele Nascimento, a Secretária Acadêmica, Francis Martins, os Coordenadores dos Cursos, Marcia Rubez (RH) e Humberto Felipe (Logística), os professores Laureano Bogado, Maria José Urioste Rosso, Jorge Gomes, José Valmir Pedro e Roosevelt Amaral, além dos amigos e familiares dos personagens principais da festa.

Mas a noite não foi somente um marco burocrático para melhoria do currículo, mas também para o recomeço, o passaporte  para uma nova etapa.

Para Marcelo Gregório, do Curso de RH “no UNISAL, fomos desenvolvidos não somente para sermos os melhores do mercado, também fomos moldados, como cidadãos. Criamos a capacidade de tornar nossos filhos melhores para nosso mundo e capazes de nos tornar mutáveis ao ponto de criarmos laços de empatia”.

.

Saiba o que  o futuro reserva para esses Ex-Alunos!

.

Profissional de Recursos Humanos

De acordo com o Guia do Estudante, a maior competitividade no mercado de trabalho demanda uma gestão eficiente das equipes e, consequentemente, abre vagas nos departamentos de pessoal, recrutamento e seleção e treinamento e desenvolvimento. A complexidade da legislação trabalhista reforça a demanda pelo tecnólogo, que é especialista em áreas como folha de pagamentos, cargos e salários e relacionamento com sindicatos.

Mas não é só isso, o UNISAL forma profissionais comprometidos com seu papel na gestão de pessoas em organizações contemporâneas, com forte visão humanista, consciência para o desenvolvimento de uma corporação sustentável e uma sociedade cidadã.

Para a Ex-Aluna Márcia Fialho o curso de Tecnólogo em RH foi de muita importância. “Pude perceber o quão bom é aprender e tinha muito medo de que não conseguisse fazer uma faculdade e hoje depois de formada em RH já pretendo fazer outra (…) Só tenho a agradecer a atenção e todo conhecimento que a instituição nos dá ao longo dos estudos e dizer que seja qual for a área que alguém pretende estudar, o UNISAL é uma grande instituição de grandes valores éticos e professores excelentes. Se Deus quiser ano que vem estarei aí novamente no Direito”. – Declara a Tecnóloga.

Profissional de Logística

O Guia do Estudante também dá destaque para uma informação importante: O BRASIL É O 65º EM RANKING DE LOGÍSTICA! A Logística está presentes em pequenos e grandes eventos, como foi o caso das Olimpíadas e como serão as Eleições 2016.

Elaborada pelo Banco Mundial, a lista mede a eficiência do setor em 160 países e é feita a partir da percepção do setor empresarial. A posição do Brasil no ranking mostra que ainda há muito a ser feito no país, o que é uma boa notícia para os profissionais com formação na área.

O UNISAL se preocupa com isso. Por isso tem o objetivo de promover competências gerenciais, capacidade de utilizar de forma adequada as informações para tomada de decisão e hábeis nas aplicações de técnicas logísticas gerenciais.

Para o recém-formado, Luis André Costa Pereira, o curso teve um significado único. “Aprendi técnicas e conceitos que muitas vezes dentro de uma empresa são poucos ou em nada utilizados e devem ser aplicados. Aprendi a ser muito mais atento aos erros que a empresa comete e a ter raciocínio rápido para minimizá-los. Sem contar que me ajudou muito no relacionamento com as pessoas” – afirma o Ex-Aluno.

O UNISAL deseja sucesso a todos os concluintes do 1º semestre de 2016 e se coloca a disposição para novos projetos.

sandra-ex-aluna-unisal

Tecnóloga se forma aos 50 anos e quer “resgatar o tempo perdido”

Três cânceres e algumas falências deram a Sandra de Nigris uma “vontade feroz” de adquirir novos conhecimentos para empreender um negócio social.

 

Depois de ter superado três cânceres e algumas falências como microempreendedora, Sandra de Nigris diz que tem uma “vontade feroz” de adquirir novos conhecimentos. No fim de 2015, aos 50 anos, concluiu sua primeira graduação. Já engatou neste ano a segunda, com uma bolsa de pesquisa científica no próprio UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo. A meta é abrir um negócio social. “Tenho pressa; quero resgatar o tempo perdido”, justifica.

Leia, abaixo, os principais trechos da entrevista.

O que te levou à universidade aos 48 anos?

No momento em que eu deveria estar estudando, conheci meu atual marido, casei, tive um filho, que morreu quando estava completando nove meses de gestação, e seis meses depois já estava grávida da minha filha. Tínhamos um negócio, que deu muito retorno financeiro, até compramos nossa casa, mas veio o Plano Collor e afundamos em dívidas. Fiz de tudo um pouco para sobreviver. Tive até uma tapeçaria.

Quando tudo estava se estabilizando, vieram três cânceres: em 2001, em 2002 e em 2008. Quando recebe um diagnóstico de uma doença que leva muita gente à morte, você fala o seguinte: “Preciso ir à luta”.

Foram dez anos até eu retornar ao mundo acadêmico. Porque, até você buscar tudo aquilo que deixou para trás, entra um monte de coisas na fila que, na sua cabeça, são prioritárias: dar risadas, fazer amigos.

Em 2013, fiz o Enem. Surpreendentemente, passei. Escolhi Tecnologia em Processos Gerenciais, porque eu queria um curso curto. Pelo meu histórico, não tinha direito de fazer planos a longo prazo. Pensei: seu eu morrer, morro com o sonho realizado de ter um curso superior.

 “A universidade mudou minha vida, minha cabeça; hoje consigo fazer planos para o futuro”

E a segunda graduação?

Gestão em Recursos Humanos. A universidade mudou minha vida, minha cabeça, hoje consigo fazer planos para o futuro. Quero fazer mestrado, dar aulas. Quero muita coisa e tenho pressa.

Como foi a volta à sala de aula?

Eu achei que a diferença de idade ia ser um problema. Mas me surpreendi. Me envolvo, muito, em tudo, mais do que os meninos, até mesmo na bagunça. Eu tenho necessidade de viver.

Isso é consequência da maturidade?

Cânceres à parte, se eu tivesse feito faculdade antes, não teria aproveitado tanto.  Me formei com mérito acadêmico do Conselho Regional de Administração!

Você teve algumas experiências empreendedoras, algumas malsucedidas. Quais foram os aprendizados?

Se eu consegui vencer três cânceres, sair de um negócio e levantar outro é fichinha. Eu tenho uma vontade feroz de aprender, de viver, de acontecer.

sandra-ex-aluna-unisal-2

Sandra de Nigris na sala de aula. Crédito: Na Lata

O que, para você, é acontecer?

É ajudar os menos favorecidos, economicamente falando. Entrei numa bolsa de iniciação científica para validar no meio acadêmico um produto que desenvolvi, o Sustentex, e que já apliquei em algumas casas. Trata-se de um revestimento de parede com acabamento final, feito a partir de resíduos como folha de bananeira, e que é assentado sobre o tijolo ou o bloco e custará R$ 18 o metro quadrado.

.

“Empreender não tem idade, basta querer; e a maturidade te dá uma bagagem monstruosa”

E quando nasceu o Sustentex?

Não sei precisar o ano, mas foi quando a dona Nega, minha vizinha, que estava muito triste porque ia receber a família do Nordeste, me contou que tinha vergonha da casa dela. Eu fui à lixeira da rua e peguei pedaços de isopor. Com a ajuda de algumas pessoas, transformamos a sala dela, ficou linda. E, melhor, durou. Pensei: por que isso não pode virar um negócio social? Porque eu acredito que você pode fazer o bem e também ganhar dinheiro. E quero empoderar as comunidades.

E como a universidade te ajudou nesse processo?

Quando você tem essa pegada social, começa a tirar do seu para dar para os outros, indiscriminadamente. O UNISAL me ensinou a represar minhas ideias. E me direcionou e orientou para transformá-las em um negócio. E o produto será lançado no segundo semestre.

Então, empreender não tem idade?

Não mesmo, basta querer. E tem mais: a maturidade te dá uma bagagem monstruosa!


Fonte: Movimento Real.Idade