Pra Sempre UNISAL | Ex-Alunos
jornada-psicologia-unisal (7)

Ex-Alunos participam da formação

VI Jornada de Psicologia, realizada de 22 a 27 de agosto de 2016, no UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo – Unidade Lorena, celebrou números importantes para o Curso.

Desde sua fundação em 1969, o Curso tem aumentado o número de pessoas atendidas pela formação salesiana.

Sendo o 2º curso a funcionar no interior do Estado de São Paulo e pioneiro no Vale do Paraíba, hoje atende 15 mil pessoas por meio de 70 projetos realizados pela  Direção,  Coordenação, Professores, Alunos e Ex-Alunos do UNISAL, pessoas que levam no coração a missão de Dom Bosco.

A proposta da VI Jornada foi trazer à discussão, temáticas novas e emergentes dentro da ciência psicológica, como também evidenciar o importante papel de atuação do profissional psicólogo em uma sociedade em constante mudança.

Durante os 06 dias de evento, foram dezenas de palestras, workshops, oficinas, rodas de conversa e mesa-redonda.

“A intenção foi oferecer ao Aluno, Ex-Aluno e profissionais, a qualificação suficiente para ser um diferencial lá fora e atender com todo o amor a comunidade”, afirmou a coordenadora do Curso, Prof.ª Ana Carlota, na abertura do evento, dia 22 de agosto.

O clima de salesianidade se mostrou presente por meio de homenagens a 3 pessoas que ajudam na marca diferenciada do Curso. Os professores Hailton Leite e Márcia Cristina Gonçalves de Oliveira Frassão, além da secretária do Curso de Psicologia, Daniele Ribeiro, foram homenageados com placas entregues por Alunos.

A coordenação do Curso, por meio do assistente Gabriel Franco, fez um levantamento sobre as atividades oferecidas.

- 2 palestras;
- 3 mesas-redondas;
- 16 minicursos;
- 3 oficinas para os participantes;
- 1 cine-debate;
- 1 roda de conversa;
- 4 oficinas ofertadas à comunidade (Oratório São Luis) – Público aproximado de 300 pessoas;
-38 Professores convidados;
- Editoras parceiras;

“O evento teve uma rotatividade diária de 400 participantes, o que nos alegra e muito”, afirma Gabriel, que é também Ex-Aluno do Curso. A palestra de abertura, dia 22, no Teatro São Joaquim, contou com a Prof.ª Dr.ª Ana Paula Porto Noronha (USF).

mattostt-2

 “O trabalho integral resultou na conquista dupla do Troféu Eficiência.”

De um lado, Felipe Matos de 10 anos, de outro, Dirce de 53 anos. O que parece um duelo é, na verdade, a união em prol da formação integral do cidadão. Sim, aquela premissa proposta em muitas leis é levada à risca em um projeto singelo realizado no Vale do Paraíba.

Singelo em termos financeiros, mas exemplo em cultura de trabalho em grupo esportivo.

Estamos falando do Time de Tênis de Mesa, equipe Matos TT (Table Tennis) de Lorena (SP).

O projeto, existente há 13 anos, tendo como idealizador Fábio Matos, conta atualmente com 327 inscritos de 6 a 80 anos. Eles participam de treinos gratuitos três vezes na semana: segundas, quartas e sextas-feiras, na quadra do Delta, em Lorena. São três turmas participantes:

- Das 18h às 20h: Profissionais que treinam para competições;
- Das 20h às 21h: Iniciantes 2, categoria que ainda não atingiu nível profissional;
- Das 21h às 22h: Iniciantes 1, pessoas que fazem uso do esporte como hobby e/ou atividade física.

E para manter viva essa iniciativa, nos bastidores, há uma legião de anjos voluntários, apoiadores e patrocinadores. Gente que transforma os sonhos em realidade.

Em meio a esses anjos, há uma Ex-Aluna do UNISAL Lorena, que leva consigo o espírito salesiano de Dom Bosco. Seu nome é Maria Fernanda Rodrigues, formada em Psicologia em 2010, mas entre os atletas ela é conhecida como “Tia Fernanda”.

Quer saber qual o motivo? Em um bate-papo com a equipe de Comunicação e Marketing do UNISAL, ela falou sobre as regras nos bastidores e o clima de apoio que dão sustentação aos competidores. “Os alunos de qualquer idade não podem faltar duas vezes consecutivas  se não ficam fora do treino. No caso de crianças, adolescentes e adultos que tiveram nota ruim na instituição de ensino em que estudam, ficam suspensos, mas devem comparecer ao treino para estudar a disciplina que estão com desempenho ruim”, disse a Fernanda.

Ou seja, o tipo de metodologia adotado pelo grupo Matos TT explica o sucesso nas competições e na vida.

O grupo é bicampeão do Troféu Eficiência 2014 e 2015 da Liga Valeparaibana de Tênis de Mesa (LVTM), como melhor equipe de Tênis de Mesa da Região Metropolitana do Vale e Litoral Norte, além de ser referência pela Confederação como um Centro Nacional de Tênis de Mesa, título conquistado em 2013. “As pessoas nos visitam para saber o que fazemos de diferente”, disse Fernanda.

Algumas regras são semelhantes às de outras equipes.  Enquanto um jogador não está na mesa durante uma competição, ele se transforma no árbitro, até para enxergar os erros de seu adversário. A disciplina no esporte é tanta que influencia até na torcida. “Ao invés da gritaria ouvida em torcidas de futebol, por exemplo, no tênis de mesa, tudo é muito contido. E se alguém sai do script, rapidinho a gente já o coloca na linha”, diz Fernanda.

A torcida entra em cena, mesmo que de forma discreta, nos treinos e nas competições.  A equipe disputa e organiza a Copa Lorena, na qual a intenção é massificar o esporte na cidade e arrecadar alimentos para instituições da cidade. Além da  LVTM e outros Campeonatos Regional, Estadual, Nacional e Internacional. Mesmo com pouco patrocínio financeiro, a permuta com empresas da cidade e do Vale e o apoio da prefeitura possibilita o sonho. Segundo Maria Fernanda, o ato de competir dá fôlego e sentido ao trabalho dos atletas.

Neste vídeo você confere um pouco sobre essa bela história!

.

ENTENDA O TRABALHO DA EX-ALUNA
ex-aluna-maria-fernanda (6)

Maria Fernanda Rodrigues

Foi por acaso que Maria Fernanda conheceu a equipe Matos TT. Por intermédio da prima dela, Vera Silva, uma atleta profissional, que ela veio a ocupar a figura materna dessa turma de filhos de 6 a 80 anos.

Foi na psicologia esportiva, aplicada com o grupo, que ela conheceu sua nova família.

Maria Fernanda atua de forma coletiva, com conceitos da Psicologia. Dentre eles, o da Psicomotricidade, quando trabalha a consciência corporal, e o reconhecimento sobre sua força. Quando o caso exige mais cuidado, ela recomenda o atleta para um atendimento individual.

Apresentamos também outro anjo voluntário: Adam Oliveira, preparador físico da equipe. Cabe a ele as recomendações técnicas. E são muitas! “É preciso atenção dentro e fora da competição, apesar de que temos nos jogos verdadeiros guerreiros que, muitas vezes, anulam dores em prol de um resultado positivo da equipe”, conta Fernanda.

Diferenças sociais e culturais  na equipe são muitas, mas não o suficiente para abalar o time. Os problemas que podem acometer e comprometer os atletas são resolvidos antes das partidas, depois e até mesmo durante a madrugada, via grupos criados nas redes sociais. “O que importa é o aluno estar no projeto de cabeça e alma. Afinal, você não forma para ser campeão no tênis de mesa, mas sim para ser campeão na vida”, avalia a psicóloga e Ex-Aluna UNISAL.

O  grupo Matos TT de Tênis de Mesa é diferenciado não somente por esses detalhes já conhecidos, mas por ser a única equipe do Vale a ter uma  psicóloga como parte integral do trabalho.

Conheça mais personagens dessa história, como o Tanaka, o Flávio e outros anjos da equipe, além dos resultados pelo site da LVTM ou Fanpage da Mattos TT!

abrir-retirar-porta-2

Li recentemente que para se ganhar a liberdade existencial, que é de direito dos humanos, precisamos arrancar os pinos da fechadura, pois muitas vezes as portas estão trancadas.

Caminhei observando a natureza e pensando…

Por que os seres humanos são tão incompetentes, não gerenciam suas vidas, deixam de viver grandes emoções, não constroem significados que transcendem nossa breve estada aqui?…

E como criam tantas amarras e estas se tornam tão fortes, que sequer ousam simplesmente abrir para conhecer o que existe deste outro lado, aguardam silenciosamente para arrancar os pinos…

E neste aguardo o tempo se foi, as promessas não se cumpriram, os desencantos aconteceram e perdeu-se as oportunidades de se viver “vida com vida”.

A natureza, com sua sabedoria simplesmente encontraria as chaves, abriria as portas e mostraria os caminhos…

Na natureza tudo é perfeito e as ações encadeadas…

Nós humanos insistimos em colocar uma ordem que não é a natural..

Neste caminhar com a neblina refletindo os raios solares, penso que há um ledo engano nesta pontuação lida, pois precisamos sim abrir todas as portas, mas jamais, arrancando-as

É muita violência!

As nossas portas merecem ser abertas dignamente com as próprias chaves que um dia as fecharam, e com a ousadia dos “jovens velhos de hoje” adentrar nestes novos caminhos com força, foco e fé mas, com a coragem de realmente SER!

Ser pessoa com a força necessária para auto conhecer-se visando focar nas alegrias que quer priorizar e com fé em Deus e na sua obstinação em realizar sua essência em busca de plenitude existencial e espiritual.

E com este caminhar consciente o mundo vislumbrado pelas portas abertas tranquilamente encadearão as ações que concretizarão nossos desejos trancados até então…

E…

Alegremente buscaremos viver nossa “vida com vida”!

Maria Berenice Ribas Rosa de Oliveira  concluiu os cursos de Psicologia em 1991 e Pedagogia em 1994 no UNISAL Lorena . Atualmente é palestrante.

congresso-ex-aluna-2

O nome dela é Luciana de Souza. Poderia ser mais uma Luciana em meio a tantas outras. Mas essa é diferenciada. É a nossa Luciana, Ex-Aluna UNISAL.

Falamos com toda essa convicção, pois ela se formou em Psicologia, em 2005. De lá pra cá tem atuado em diversos projetos que contribuem, não somente para a sua área como também para a formação de outras pessoas.

Neste ano, ela participa da organização do Congresso Interdisciplinar, em Poços de Caldas, entre os dias 2 e 4 de junho, e tem o apoio do UNISAL.

O objetivo do encontro é reunir contribuições científicas que gerem pesquisa, discussão e estudo na busca por novas intervenções no universo, a produção científica e a promoção de discussões interdisciplinares. Segundo os organizadores, todos esses itens promovem a atualização e o aperfeiçoamento em SAÚDE, EDUCAÇÃO e TRABALHO, com vistas para a qualidade de vida das pessoas.

O encontro está com a programação recheada de conferências, cursos, debates, oficinas e mesas-redondas, além de estudos apresentados em exposição de painéis de trabalhos científicos com diferentes profissionais.

Além dessas atividades, haverá um espaço reservado para a participação de editoras com lançamento de novos livros e contato com renomadas universidades e instituições de Educação e Saúde.

Dentre os conferencistas, o evento contará com a palestra magna da Professora e Ex-Aluna do UNISAL, Rosana Pena: “Transtornos de Preferência Sexual – Parafilias”.

A programação completa do evento está no site do evento.

Os alunos, professores e colaboradores do UNISAL tem desconto para se inscrever na categoria CONVENIADOS.

futuro-psicologia2

Nestes 53 anos de Psicologia no Brasil, muitas foram as conquistas, avanços democráticos, ações e inserções da profissão nos mais variados campos de atuação profissional.

Uma profissão que se transformou, acompanhando a transformação da sociedade brasileira, com ênfase na atenção e prevenção; na saúde e no trabalho.

- Na educação, ensinando a aprender para ensinar.
- Na perspectiva  individual e coletiva.
- Na rua, no trânsito, ou nas varas de família, tratando gente como gente.

Sabendo ouvir para ajudar o outro a falar. Uma Psicologia de “todo o dia”, em “todos os lugares”.

De acordo com o Cadastro Nacional de Psicólogos do Sistema Conselhos de Psicologia, o Brasil possui o maior número de Psicólogos ativos do mundo. São 216 mil profissionais em atividade.

Diante da extensão das áreas de trabalho e atuação profissional e do número, cada vez mais crescente, de entrada de profissionais no mercado, a preparação e a atualização contínua do psicólogo é, hoje, uma   urgência. Há que se preparar para responder aos inúmeros desafios dessa realidade que se impõe.

Sabe-se que a Graduação, é um espaço plural de formação generalista a respeito do conhecimento psicológico, que capacita o profissional para trabalhar com diversos tipos de campos   e necessidades humanas, sendo estes, cada vez mais complexos, exigindo desse profissional uma atualização que o capacite a ser mais eficiente e diretivo na resposta à essas necessidades.

unisal_lorena_pos_banner250x250pxFrente   ao   exposto, a questão passa a ser:  Que futuro você quer para a Psicologia e para você, enquanto Psicólogo?

Se você nunca parou para pensar a respeito, este pode ser o momento certo. Nos cursos de Pós-Graduação em Psicologia você pode encontrar a resposta para a questão posta, pois, ao se especializar é possível desenvolver competências e habilidades necessárias para garantir a sua presença e o seu papel no mercado profissional.

.

Ana Carlota Pinto Teixeira concluiu o curso de Psicologia no UNISAL Lorena em 1981 (Antiga Faculdade Salesiana de Filosofia, Ciências e Letras de Lorena). Atualmente é professora e supervisora de cursos de Pós-Graduação em Psicologia.

Antonia Cristina Peluso de Azevedo concluiu o curso de Psicologia no UNISAL Lorena em 1973 (Antiga Faculdade Salesiana de Filosofia, Ciências e Letras de Lorena). Atualmente é pesquisadora e professora.

 

 

 

tanatologia-ex-aluno-unisal

Na mitologia da Grécia antiga Thanatos é um personagem que aparece em inúmeros mitos e lendas. Filho de Nix (a Noite) e Érebo (a Escuridão) e irmão gêmeo de Hipnos (o Sono), habitava os Campos Elíseos (o paraíso do país de Hades, o mundo dos mortos). Thanatos é a personificação e é o deus da morte.

A palavra Tanatologia provém de: Thanatos = morte e Logos = estudo. Ou seja, o estudo da morte e do morrer, especialmente em seus aspectos psicológicos e sociais. Assim, a Tanatologia é a ciência da vida e da morte que visa entender o processo do morrer e do luto. E, simultaneamente, humanizar o atendimento aos que estão sofrendo perdas graves, podendo contribuir dessa forma na melhor qualificação dos profissionais que se interessam pelos Cuidados Paliativos, procedimentos que visam atenuar a dor e o sofrimento e aprimorar a qualidade de vida dos pacientes e de seus familiares diante de uma quadro ou doença terminal.

Segundo Kübler-Ross (1992) um paciente em estágio terminal e seus familiares podem passar por cinco fases no processo do morrer:


Negação:
 ajuda a aliviar o impacto da notícia, servindo como uma defesa necessária a seu equilíbrio. Geralmente em pacientes informados abruptamente e prematuramente. O paciente desconfia de troca de exames ou competência da equipe de saúde. Geralmente o pensamento que traduz essa defesa é: “não, eu não, não é verdade”. O médico deve respeitar, porém ter o cuidado de não estimular, compactuar ou reforçar a negação.

Raiva: o paciente já assimilou seu diagnóstico e prognóstico, mas se revolta por ter sido escolhido. Surgem sentimentos de ira, revolta, e ressentimento e tenta arranjar um culpado por sua condenação. Geralmente se mostra muito queixoso e exigente, procurando ter certeza de não estar sendo esquecido, reclamando atenção, talvez como último brado: Não esqueçam que ainda estou vivo! Nesta fase deve-se tentar compreender o momento emocional do paciente, dando espaço para que ele expresse seus sentimentos, não tomando as explosões de humor como agressões pessoais.

Negociação: tentativa de negociar o prazo de sua morte, através de promessas e orações. A pessoa já aceita o fato, mas tenta adiá-lo. Deve-se respeitar e ajudar o paciente.

Depressão: aceita o fim próximo, fazendo uma revisão da vida, mostrando-se quieto e pensativo. É um instrumento na preparação da perda iminente, facilitando o estado de aceitação. Neste momento, as pessoas que o acompanham devem procurar ficar próximas e em silêncio. Cabe ressaltar que o termo “depressão” não está sendo utilizado aqui para designar a doença depressiva, mas sim um estado de espírito.

Thiago Ribeiro Borges concluiu o curso de Psicologia no UNISAL Lorena em 2013, em que obteve o título de Universitário 5 Estrelas. Atualmente é pesquisador e professor.

30-anos-psicologia-UNISAL

A sexta-feira, 13 de novembro, no Centro Universitário Salesiano de São Paulo – Unidade Lorena – Campus São Joaquim, lembrou bem o suspense atribuído a esta data nas telas do cinema.

Na Unidade Lorena, o clima diferenciado foi de responsabilidade de 25 Ex-Alunos do curso de Psicologia.

Os psicólogos graduados em 1985 na Instituição Salesiana retornaram para uma visita rápida, mas agitada e que chamou atenção por onde a caravana passou.

A primeira parada dos amigos foi no Palacete. No local, eles vestiram o uniforme da união, uma camiseta com o símbolo da Psicologia como destaque. O crachá e a assinatura no cartão para homenagear o professor Paulo Vasques, que tem quase os mesmos anos de profissão no UNISAL, também não poderiam faltar.

Quando velhos amigos se encontram, há muito assunto em pauta:

“Um dia já tem assunto, imagina 30 anos”, afirma Neusa Cipolli, que clinicou nos primeiros anos de profissão e que trocou a carreira do consultório pelos estúdios de uma rádio onde atua como jornalista. “Jamais abandonei os ensinamentos na minha atual profissão, aplico os conceitos na rotina diária de jornalista e digo que trabalhar com gente é a melhor coisa do mundo”, revela, emocionada, Neusa Cipolli.

Os Ex-Alunos foram recepcionados pelo Gerente Financeiro do UNISAL, P. André Luiz Simões, e pelo Diretor Operacional, Prof. Dr. Fábio Reis. Fábio fez uma brincadeira com os presentes. “No ano em que turma se graduava, eu ingressava no UNISAL”, revelou o Diretor da IES.

Uma das organizadoras do encontro, Monica Matos, hoje vive em Resende, Rio de Janeiro. Não mediu esforços para comemorar com festa a data especial. “Em nenhum momento desanimamos, ao contrário, queríamos ver todos aqui sorrindo com a alma, como estamos nós”, revela Monica.

Magda Cariello é também uma das organizadoras. Amiga de Monica desde os tempos do curso, há algum tempo criou um grupo em uma rede social, com adesão de 46 amigos, para definir os preparativos do evento. Alguns já faleceram, mas sempre são lembrados pelos colegas. “Os que estão no céu nos dão força diariamente para celebrarmos a vida”, afirma Magda, que conheceu o esposo, Paulo Vasques, no curso.

Paulo ingressou na Psicologia UNISAL em 1985, a sala de Magda foi a primeira que ele ministrou aulas. O que era apenas profissão virou amor. Hoje os dois são casados e  mantêm uma relação regada com muito diálogo, afinal são psicólogos.

A segunda parada do encontro foi a sala de aula do 1º ano de Psicologia. Lá, não somente o professor Paulo Vasques foi homenageado, como também toda a turma.

A intenção era que apenas uma Ex-Aluna UNISAL falasse sobre os 30 anos de profissão, mas a quebra de protocolo foi inevitável e a emoção veio à tona.

Teresa Cristina da Silva se agarrou ao microfone e falou aos futuros psicólogos para que aproveitassem todo o conteúdo repassado e a troca de experiência com os professores. “Apaixonem-se a cada dia que passam com os docentes, colegas de classe e profissão. Entendam que não somos concorrentes, mas sim companheiros”, afirmou a psicóloga durante o discurso aos alunos.

Em seguida, o símbolo maior do carisma de Dom Bosco, P. Mario Bonatti, também discursou. Ele aproveitou a ocasião para dizer aos alunos da importância de se reunirem em festa e de o UNISAL sempre ser palco para belas histórias como a dos alunos formados há 3 décadas.

A tradicional foto no busto de Dom Bosco não poderia faltar. E mais do que isso, as mensagens de incentivo de quem já tem uma vida inteira na profissão. Os Ex-Alunos também tiraram foto na escadaria do Palacete e fizeram uma rápida visita aos alunos do 5º ano do Curso.

 

Monica e Magda

Monica e Magda

“Torço para aqueles que estejam ingressando agora para que daqui a 30 anos tenham muitas histórias e estejam aqui para comemorar.” - Magda Cariello

 

“Desculpa para tudo a gente inventa. Não invente desculpa para reencontrar amigos, não invente pretextos para se reinventar no mercado. A nossa profissão é maravilhosa, a gente pode atuar em quantas áreas quisermos.” - Monica Matos

.

Confira toda esta emoção no álbum de fotos novas e antigas da turma!

 

PSICOLOGIA-2002 (14)

Ex-Alunos fazem parte da história

No último mês de setembro, mais precisamente no dia 13, a Brinquedoteca Psicopedagógica do SPA (Serviço de Psicologia Aplicada), do curso de Psicologia do UNISAL – Unidade Lorena – completou 18 anos de existência e funcionamento.

Há muitos motivos para comemorações, com destaque para o papel cumprido pela Brinquedoteca no que se refere ao compromisso social de atendimento à crianças com dificuldades de aprendizagem, comportamento e socialização, da cidade de Lorena e Região.

O trabalho se estende à orientação dos pais e familiares, professores e escolas das crianças atendidas.  O UNISAL também reconhece a importância da formação de alunos-estagiários do curso de Psicologia para uma atuação ética, competente, técnica e compromissada com o trabalho em brinquedotecas.

 .

BALANÇO POSITIVO

“Ao longo desses dezoito anos, a nossa brinquedoteca atendeu mais de 800 crianças, aproximadamente 350 pais e familiares, além de mais de 70 escolas envolvidas. Ofereceu oito cursos de Formação de Brinquedista e Organização de Brinquedotecas homologados pela ABBRI (Associação Brasileira de Brinquedotecas), realizou mais de 40 pesquisas e artigos sobre o tema, publicou dois livros e vários capítulos de livros juntamente com o grupo de pesquisa da ANPEP (Associação Nacional de Pesquisa em Psicologia), grupo do brincar.  Os alunos estagiários da área,  participaram anualmente de Congressos, Seminários e Jornadas, palestras apresentando os projetos desenvolvidos junto à Brinquedoteca Psicopedagógica”, afirma a Prof.ª Dr.ª Antonia Cristina Peluso de Azevedo, responsável pela Brinquedoteca do SPA.

 .

SOBRE A BRINQUEDOTECA E PESQUISAS

brinquedoteca-unisal-ex-alunos

Brinquedoteca

A Brinquedoteca encontra-se cadastrada na ABBRI, sendo considerada uma referência em brinquedotecas existentes em instituições de ensino superior. É fonte de estudo e pesquisa dentro do território nacional. A professora Antonia Cristina afirma que eles recebem muitos contatos de diversas regiões do Brasil solicitando informações e visitas, assim como de países da Europa, tais como Espanha, Portugal e Itália.

“Agradecemos a todos os alunos, ex-alunos, professores, funcionários, direção do UNISAL, pessoas que sempre acreditaram no nosso projeto incentivando-o e possibilitando a continuidade da proposta e a qualidade do serviço prestado à população”, conclui a docente.