Pra Sempre UNISAL | Ex-Alunos
encontro-ex-alunos-unisal (78)

Como era o UNISAL em 1957? Difícil imaginar detalhes com a correria diária e com o crescimento da instituição ao longo de 64 anos de tradição. O relato sobre o mercado de trabalho, com os desafios que ele apresentava na década de 50, foi trazido pelo egresso Antonio de Freitas Castro, um Ex-Aluno de Psicologia, formado em 1957, ao longo de sua apresentação no 2º Encontro dos Ex-Alunos, promovido pelo Programa Pra Sempre UNISAL no último dia 26/11/16 na Unidade Lorena.

Pelo segundo ano consecutivo, o Encontro foi sinônimo de emoção e participação. A exemplo da edição de 2015, em 2016, cerca de 55 egressos participaram.

Egressos mais antigos (formado em 1957) e mais atuais (irá se formar em 2016) estiveram presentes nesta grande festa.

Uma comemoração que contou com Ex-Alunos na composição de um Jingle dos Ex-Alunos, no cerimonial do evento, nas apresentações sobre momentos inusitados dentro da faculdade e na produção do E-book “A vida nos Pátios do UNISAL”.

E quando se fala em egresso, logo muitas memórias vêm à tona.

Memórias traduzidas no abraço dos porteiros e assistentes de pátio, Roberto Ramos e Antonio Ferreira, que diariamente recebem a comunidade acadêmica com um cumprimento caloroso. Não foi diferente ao longo do evento.

A cerimônia, com a temática de cinema, contou com dois Ex-Alunos na apresentação: Árison Lopes e Rafaela Molina (História – 2013).

P. Mario Bonatti, Assessor Salesiano, também esteve presente no tradicional café salesiano. Ele tirou gargalhada do público ao dizer que a reunião é sinônimo de amor, força e de Dom Bosco presente.

Os participantes vieram de longe para o encontro. Ex-Alunos de Campinas, Jundiaí, Resende, e de cidades da Região foram recebidos por Professores e Assistentes de Coordenação. E o registro de todas as presenças foi feito num quadro de assinaturas.

Muitas histórias e momentos marcantes. Sobrou para o Ex-Aluno e atual Professor de História, Davi Coura, contar tudo em um jingle lançado ao longo do Encontro. O Ex-Aluno falou de saudade para resumir a trajetória de mais de 17 mil egressos do UNISAL.

Ficou curioso para saber mais sobre a letra?

Acesse aqui e faça o Download gratuitamente.

.

Não somente Davi Coura não teve coragem de se despedir do UNISAL logo que se formou como também a atual Diretora de Operações, Grasiele Nascimento, que falou em seu discurso, carregado de emoção, que quer permanecer por toda a vida na casa salesiana. Diego Amaro, Ex-Aluno de História e atual Professor do UNISAL recebeu a missão de contar sobre a trajetória da instituição em mais de 6 décadas de existência. Ele resumiu em uma fala o desafio de inovar diariamente.

A responsável pelo Programa Pra Sempre de Relacionamento com o Ex-Aluno, Adriana Neves, apresentou o lançamento do E-Book “A Vida nos Pátios do UNISAL”. Ela enfatizou os relatos emocionantes da edição 2016, que valoriza a passagem de figuras marcantes pelo UNISAL e que não estão mais no dia-a-dia da comunidade acadêmica. São eles: Carlão da Portaria e Renata Nunes, Ex-Aluna UNISAL.

Confira a 3ª edição do E-book aqui e compartilhe essas lindas histórias.

.

Adriana lançou um desafio aos presentes: se dividirem em grupos para contar cenas inusitadas que marcaram a época em que estiveram no UNISAL.

O resultado foi surpreendente!

Seis grupos contaram relatos: sobre o PIBID, relacionamento com Professores que influenciou na vida profissional, a família que começou a ser formada no UNISAL e a fala do Aluno mais antigo a participar do evento. Tudo com aquele gostinho de pipoca de cinema.

Um dos apresentadores do grupo usou um caderno antigo para contar sua passagem pelo UNISAL. O material foi o primeiro usado na aula do Professor mais antigo do Curso de Direito,  Luiz Rebello.

A história escolhida pela Comissão Avaliadora como vencedora do Prêmio Curta-Metragem foi a da Ex-Aluna, Carla Taciana Batista da Silva Aoki, egressa do Curso de Geografia. No ritmo das famílias, ela falou sobre um parto, que por pouco não foi feito dentro da sala de aula do UNISAL. “Para todos, o UNISAL é nascimento, e um parto realizado na instituição selou a saída dos Alunos daquela época da instituição”.

A organização do evento também premiou com o troféu Longa-Metragem o Ex-Aluno e atual Professor do Direito, Paulo Tavares, que, no ato da inscrição, respondeu à pergunta com um depoimento emocionante: Qual o projeto mais importante que você realiza(ou) em sua carreira?

“Participar do dia-a-dia dos meus alunos no UNISAL, que acabam se tornando meus amigos. É com alegria que tento ajudá-los a caminhar rumo à realização de seus sonhos. Fazer a diferença para eles é o que me realiza e me faz ser melhor a cada dia.”

Confira o vídeo do Encontro aqui!

Ao final do encontro, os Ex-Alunos foram convidados a selar o dia com um registro em um dos pontos mais marcantes do UNISAL: a escadaria do Palacete.

Confira todas as fotos no álbum do Facebook!

.

O Programa Pra Sempre já tem uma nova data para o encontro de 2017: 3º Encontro dos Ex-Alunos irá acontecer no dia 25 de novembro de 2017. E você já pode fazer sua inscrição e se preparar.

Clique aqui e garanta a sua presença!

Paulo Vasques Voluntario

Você vai vibrar e se emocionar com a disputa de 42 esportes Olímpicos! Essa é a frase publicada no site oficial dos jogos para divulgar aquele que é considerado o maior evento esportivo do planeta. E sabe quem vai estar lá? O Ex-Aluno e Professor do UNISAL Lorena, Paulo Vasques.

Além de advogado formado neste Centro Universitário, ele é médico. Mas entre os dias 6 e 16 de agosto de 2016 será um dos mais de 50 mil voluntários das Olimpíadas do Rio.

Paulo irá atuar com outros profissionais no setor de serviço médico, na Barra da Tijuca. O horário de expediente será das 7h às 15h. “Vou atuar com o público direto, serão dias de aprendizado e oportunidade”, diz Paulo, ansioso para o evento.

Um balanço oficial mostrou que dos primeiros 50 mil voluntários aprovados, 82% são brasileiros, sendo 55% mulheres. Apenas 18% são estrangeiros – a maior parte deles é de voluntários dos Estados Unidos, Grã-Bretanha, Rússia e China.

Em 19 dias de competição (3 a 21 de agosto), haverá a participação de mais de 100 países de 200  que disputaram acirradamente as vagas. Para colocar em prática o que estava no papel, 50 áreas funcionais irão atuar no evento; além disso,  foram ofertados cursos antecipados aos voluntários e demais participantes que irão atender os atletas e o público.

A maior parte dos esportes irá acontecer no Rio de Janeiro, mas há partidas do torneio de futebol, que serão realizadas em outras cinco cidades além do Rio de Janeiro: Belo Horizonte, Brasília, Manaus, SalvadorSão Paulo.

Paulo havia atuado nos jogos Pan-Americanos de  2007, mas como funcionário público, médico da Polícia Rodoviária Federal de São Paulo. Em 2014, se candidatou para atuar no Rio 2016. Somente no primeiro semestre de 2015 recebeu a resposta positiva, após passar por uma entrevista do comitê organizador.

Agora vive a expectativa de uma criança. “Aceitei esse desafio pelo prazer em participar; irá me permitir, aos 61 anos, crescer profissionalmente e enquanto pessoa”, diz Paulo.

O Ex-Aluno não vê a hora de poder contribuir para o evento. E ele não vai medir esforços para fazer o seu melhor!

cidinha-alkimin-2

O som do violino, as aulas de latim, os ensinamentos de astronomia e o dom do acolhimento e da solidariedade com os pobres

 

Maria Aparecida Alkimin
Formada em Direito em 1991
Professora da Graduação e do Mestrado em Direito

É certo que o dinamismo da vida traz três componentes importantes: sonhos, esperanças e recordações. De fato, vivemos de sonhos, esperanças e recordações dos momentos importantes e também das pessoas que participaram de vários processos que integram a nossa vida ou passaram por nossa vida e marcaram-nos com atitudes, gestos ou palavras de carinho, amor, solidariedade; enfim, pessoas que deixam ensinamentos e valores que carregamos por toda a nossa existência.

Minhas recordações no ambiente salesiano remontam ao ano de 1987, quando então passei a integrar a instituição salesiana de duas formas: como aluna do recente curso de Direito (2ª. turma) e como empregada no exercício da função de auxiliar de departamento pessoal junto ao departamento da instituição de ensino que, naquela ocasião, estava localizado onde hoje é o laboratório de química.

Nesse ano de 1987, meu primeiro dia de trabalho foi especial e marcante, pois estava retornando do almoço para assumir o trabalho a ser desenvolvido no período vespertino e, quando ainda estava na portaria, comecei a ouvir o som de um violino. Ao me aproximar do corredor, próximo ao local do meu trabalho (departamento pessoal) deparei-me com a imagem que mais me encantou nesses anos todos de convivência no ambiente salesiano: era o Padre Hugo Greco, do andar tranquilo e dos olhos azuis, com seu violino, fazendo ecoar um som suave, cuja melodia fazia coro com o cantar dos pássaros, Ele me olhou profundamente e deslizou um sorriso cativante, fazendo-me sentir acolhida e também me fez crer que estava em um lugar especial, pois senti que ele era especial.

padre-hugo-greco (5)

Padre Hugo. Fonte: Jornal O Lince

Foram poucos anos compartilhando a presença do Padre Hugo, haja vista que adoeceu e veio a falecer no dia 22/6/90, mas o pouco tempo foi de muita satisfação e de muita graça, por ter encontrado no meio salesiano pessoa tão encantadora, cativante, generosa, solidária e acolhedora e que me proporcionou muito aprendizado, além de lição de vida, com seus atos de amor e de entrega ao próximo.

Tive oportunidade de participar da vida do Padre Hugo, acompanhando sua arte de tocar o violino, cujo horário preferido era o início da tarde, logo após o almoço, aprendendo latim nas aulas que ministrava nos dias de sábado pela manhã e, também, desfrutando de ensinamentos de astronomia que ele tinha prazer de transmitir aos alunos e demais interessados nessa ciência.

Padre Hugo Greco possuía um jeito muito especial de ensinar a ciência da astronomia, um método que ensinava e fazia com que assimilássemos os conceitos e termos científicos por meio da associação, ou seja, a ligação entre o termo científico e algum objeto, característica pessoal ou parte do corpo. Em um dos seus ensinamentos sobre constelações, quando com seu telescópio apontou-me as estrelas Canopus (estrela gigantesca localizada no hemisfério sul) e Sirius (uma das estrelas mais brilhantes que se avista no céu noturno), Padre Hugo disse-me: “Minha filha, você nunca vai esquecer se associar canopus a cano e sirius a cílios.” De fato, nunca esqueci!

Mas, as recordações do Padre Hugo Greco, marcantes na minha vida, não se limitam apenas ao som arrebatador do seu violino, às aulas de latim no dia de sábado pela manhã e aos ensinamentos de astronomia que ensinava nos pátios com o seu telescópio. Ele me marcou, principalmente, pela sua simplicidade e humildade, no falar, no vestir, no agir, bem como no modelo de pessoa humana que fez renúncias pelos pobres.

Nos dias de sábado, Pe. Hugo dirigia-se até a portaria da instituição onde tinha encontro com os pobres e entre eles distribuía o ganho auferido das aulas que ministrava, cujo gesto de solidariedade, cuidado, acolhimento e ajuda ao próximo foi a maior das suas lições. E essa lição de vida e modo de ser o tornou para mim muito mais que uma pessoa especial, mas também um homem santo, que reproduziu na sua vida os gestos de S. João Bosco.

O download do E-Book pode ser feito gratuitamente. Clique aqui e confira!

Esta é “A vida nos pátios do UNISAL”…

Porque o que dá sentido à vida não pode se perder no tempo!

 

DIREITO-1990

Ernesto Quissak
Formado em Direito em 1990 (1ª turma)

Recordo-me, como se fosse hoje, da primeira aula que tivemos na então recém-criada Faculdade Salesiana de Direito de Lorena. Era 1986 e os pouco mais de sessenta acadêmicos ainda não se conheciam. Era o primeiro contato entre nós e com a Faculdade de Direito. O Professor de Sociologia, Getulino do Espírito Santo Maciel, iniciou a fala dizendo: “O advogado que é apenas advogado é uma triste coisa.” E, partindo desse ponto, disse-nos que deveríamos, ao longo de nossa formação, cuidar para adquirir vasto conhecimento em todas as áreas do saber, em especial naquelas que dizem respeito às Ciências Humanas e Políticas.

No curso dos cinco anos de convivência e aprendizado, a pedagogia salesiana mostrou seu acertamento e, aos poucos, nos proporcionou conhecimentos diversos. Na área do Direito, além das disciplinas clássicas, como o Direito Civil e o Penal, contávamos com Direito Canônico e Direito Romano, o qual cheguei a lecionar na mesma Faculdade, depois de formado. O Latim também se fazia presente, em curso extracurricular, ministrado pelo saudoso P. Hugo Greco, que, com suas placas contendo declinações latinas, trafegava entre a multidão de alunos. Diziam que quando ele tocava violino, flutuava. É coisa de se imaginar, para quem o conheceu, pois sua aura luminosa, seu sorriso cativante e sua voz plena de bondade cativava a todos, quiçá também aos Anjos. E assim, neste centenário Colégio Salesiano – onde se inseria a Faculdade – fomos crescendo como acadêmicos, e, especialmente, como pessoas. Ali, logo se via, formavam-se Homens, não máquinas. Professores iluminados  guiavam-nos sempre, tais quais P. Nivaldo Peccinatti e P. Mario Bonatti, que desde sempre nos asseveravam que “a vida tem a cor que você pinta”.

brasao-direito-1986Alguns, desde cedo, já revelavam sua vocação absoluta para a advocacia, tal qual o Dr. José Pablo Cortes e o Dr. Carlos Eduardo Tupinambá Macêdo; outros, pretendiam concursos públicos e, mais alguns, apenas se aprimorarem, pois já tinham seus ofícios consolidados em anos de carreira em outras searas. Fosse como fosse, cada qual ali encontrava o que procurava e muitos ainda militam no sagrado ofício do Direito, chegando aos ápices, cada qual em seu trecho. Eu próprio, advogado desde então, recordo-me da alegria em poder participar ativamente da vida acadêmica na Faculdade Salesiana de Direito, seja ajudando na formação do Centro Acadêmico, seja criando o Símbolo da Faculdade, até hoje em uso. Foram anos de intensa vivência, estudo e aprendizado.

De lá para cá, décadas transcorreram e as sólidas bases científicas e morais havidas nos bancos acadêmicos permitiram-me constatar o acertamento da primeira lição recebida, pois nos tornamos mais que advogados, tornamo-nos homens e mulheres que fazem a diferença neste mundo tão carente de Justiça no sentido maior do termo. Deveras, como já se disse, “a grandeza do homem pode ser medida, não por sua riqueza ou fama, mas por suas ações, seu caráter, sua verdade, sua tolerância, sua caridade, sua confiança, sua amizade, seu amor por seus semelhantes”.

formados-direito-1990

Reencontro de alguns Ex-Alunos da 1ª turma de Direito em 2015.

download do E-Book com todas as histórias pode ser feito gratuitamente. Clique aqui e confira!

Esta é “A vida nos pátios do UNISAL”…

Porque o que dá sentido à vida não pode se perder no tempo!