Pra Sempre UNISAL | Ex-Alunos
exposicao-moda-historia

Neste mês de agosto de 2016 o UNISAL Lorena se transformou em uma grande passarela para uma exposição e em um desfile inusitados no XXIX Simpósio de História.

Desafio em dobro. Como atrair o público para a moda do século 19 e, ao mesmo tempo, ensinar alunos da atualidade?

A resposta pode ser encontrada na parceria entre as Unidades do UNISAL Americana, por meio da Prof.ª Dr.ª Maria Alice Ximenes Cruz, e o Curso de História da Unidade Lorena, por meio do Assistente de Coordenação e Ex-Aluno, Árison Lopes.

Além da expansão do ensino e a pesquisa, a exposição “O íntimo feminino do Séc. XIX” teve como intenção mostrar como eram o corpo e a roupa e avançar nas reflexões sobre o redesenho do corpo feminino no século XIX.

A Prof.ª Maria Ximenes ministra aulas no Curso de Graduação de Moda ofertado pelo UNISAL Americana, além de integrar o programa de Pós-graduação na mesma Unidade salesiana, onde desenvolve estudos nas disciplinas de História da Arte, História da Moda e Desenho de Observação. Saiba mais sobre o curso.

É também autora dos livros “Um percurso nos mistérios da vestimenta feminina espanhola” e “Moda e arte na reinvenção do corpo feminino do século XIX”,  este último editado pela Estação das Letras e Cores.

Em entrevista ao UNISAL, a Prof.ª Maria Ximenes disse que a inédita parceria foi muito bem sucedida, pois o estudo da moda é uma área de conhecimento que abraça várias vertentes que permeiam a história e a cultura.

“Serei eternamente grata pelo prestígio às minhas pesquisas, senti-me honrada e confiei aos apaixonados pelo tema meu acervo particular de peças originais históricas, além das réplicas”, afirmou Maria Ximenes.

A ideia da parceria e a execução do projeto foram do Assistente do Curso de História, Árison Lopes. Para ele, a moda mostra para seus estudiosos um leque de opções, pois por meio dela é possível retirar conceitos políticos, sociais e econômicos de homens e mulheres em sua época.

“A Mulher é uma fonte rica para esses estudos, pois parte dela uma tendência das discussões do passado e do presente apenas usando as roupas como objeto de estudo. É claro que não se restringe apenas a esse campo, mas a roupa é também uma forma de expressão”, disse Árison.

Além da exposição estática nos corredores do UNISAL, a mostra ganhou uma versão viva e itinerante. Alunos contemporâneos do UNISAL Lorena se transformaram em modelos por um dia. A sessão de fotos teve como protagonistas a Aluna do curso de Filosofia do UNISAL Lorena, Natália Oliveira, e o apoio técnico de Matheus Oliveira e a Bruna Modesto.

“Encantei-me com a exposição e com o desempenho das Alunas e dos Alunos registrado pelas belíssimas fotos que recebi. As fotografias cristalizaram muitas reflexões, o que me impulsiona para a criação de novas parcerias, como a produção de um artigo”, disse Maria Ximenes.

Sobre a Exposição

A Moda é um viés da história muito pouco estudada e/ou pesquisada por sofrer preconceito de banalidade e futilidade, mas vai além desses conceitos do qual precisamos romper e colocar em prática no campo de pesquisa.

É neste contexto que se enquadra a mostra “O íntimo feminino do Séc. XIX”. A exposição conta com peças físicas como as anáguas, vestidos, sombrinhas, chapéus, luvas, entre outros itens. Todo esse acervo necessita de difusão. “Este é o papel do pesquisador, levar a luz do conhecimento àquilo que lhe foi revelado para encontrar novas interfaces e olhares de novos pesquisadores”, afirma Maria Ximenes.

Para o UNISAL, a parceria eleva o conhecimento da moda em seu âmbito histórico-cultural. Os idealizadores do projeto acreditam que essa união possa refletir no amor de novos estudiosos por este campo tão sedutor do saber, que é a história da moda.

“Hoje, século XXI, olhamos para essas peças e pensamos que vivemos numa época de liberdade. Mas estamos enganados, subjetivamente falando, pois hoje vivemos ainda uma imposição estética vinculada entre as mídias, seja ela efêmera ou não, no âmbito feminino e masculino”, conclui Árison.

Repercussão

Foi também positiva a repercussão da publicação da exposição nas redes sociais. O Coordenador do Curso de Moda do UNISAL Americana,  Daniel Basso Polezi, publicou no dia 4 de agosto de 2016, em seu perfil em uma rede social, a seguinte frase:

“Parabéns Maria Alice Ximenes Cruz e Árison Lopes! Este é um excelente trabalho que envolve o ensino a pesquisa e a extensão no UNISAL. Um exemplo de cooperação entre as unidades de Americana e Lorena”, concluiu.

Acesse aqui o link completo com as fotos da exposição e do XXIX Simpósio de História.

Adriano Fernandes - Ex-Aluno

Não é de hoje que a Biblioteca do UNISAL Lorena realiza eventos abertos à comunidade acadêmica e comunidade externa. Inserido no público que conheceu de perto da doutrina de Dom Bosco, estão os Ex-Alunos. Basta uma oportunidade, e eles retornam à instituição.

Dessa vez, a “Biblioteca Ativa” foi o convite  para egressos estreitarem o relacionamento com os atuais Alunos.

Exposição Monteiro LobatoEm abril, (18 a 25 de abril) a Semana do Livro Infantil contou com a Exposição Monteiro Lobato, arte em grafite, cedida pelo Ex-Aluno de Matemática Angelito Márcio Ramos. Já imaginou um Aluno dos cálculos falando de Monteiro Lobato, o mestre da literatura? Essa mistura atraiu visitantes e Alunos e foi considerada pela coordenação da Biblioteca, um sucesso.

.

Livro Guarda-chuvas e BicicletasAinda em abril, (07 de abril), o bate-papo rolou com o Ex-Aluno de Geografia,  Adriano Fernandes. O escritor e autor do livro “Guarda-chuvas e bicicletas”, contou o motivo pelo qual escolheu o  título curioso, além  de outras histórias sobre sua formação, infância e  carreira profissional. O evento contou com a participação de Colaboradores, Alunos e Comunidade.

.

Exposição Cultura IndígenaO Dia do Índio também foi lembrado pela Biblioteca do UNISAL. Entre os dias 06 a 15 de abril, o setor virou uma oca para a exposição Cultural Indígena, do Instituto UKA. O acervo é  do Ex-Aluno de Filosofia, Daniel Munduruku.

Escritor indígena, graduado em Filosofia, e com licenciatura em História e Psicologia, Daniel coleciona títulos e prêmios.  Recebeu diversos reconhecimentos no Brasil e Exterior, entre eles os Prêmios Jabuti e Tolerância (outorgado pela UNESCO).  Daniel Munduruku é autor de 43 livros sobre educação e povos indígenas voltados para os públicos infantil, juvenil e educadores.

O Diretor-Presidente do Instituto UKA – Casa dos Saberes Ancestrais, aborda uma questão crucial para a construção da cidadania, tendo em vista que essa parcela da população é predominante em várias partes do país. De acordo com o levantamento mais recente do censo demográfico do IBGE, mais de 817 mil brasileiros se declaravam indígenas no ano 2010. A pesquisa registrou 274 idiomas entre as trezentas e cinco etnias encontradas.

“O tema ‘povos indígenas’ torna-se relevante pela questão histórica, ainda mais se levarmos em conta o crescimento exponencial dessa população nas últimas duas décadas”, afirmou Daniel a uma entrevista ao Canal Futura em 2015.

Clique aqui para saber mais sobre o Instituto UKA!

Além das atividades com a participação dos Ex-Alunos, nos dias 05 e 19 de abril aconteceu o Projeto de Incentivo à Leitura com os Colaboradores dos setores de Manutenção, Limpeza e Segurança do UNISAL

É aí que entra a ”Biblioteca Ativa”, para tratar desses e outros temas que ajudam a construir a cidadania.