Pra Sempre UNISAL | Ex-Alunos
grasiele-nascimento

A primeira Comissão de Pesquisa e Pós-Graduação em Direito da OAB  (Ordem dos Advogados do Brasil) criada no Brasil vai ter uma representante do UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo, Unidade Lorena, a Professora Doutora Grasiele Augusta NascimentoDiretora Operacional e Ex-Aluna da Unidade. O novo grupo, o qual teve Portaria publicada em 29 de junho, pretende colaborar para o desenvolvimento da pesquisa nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Direito.

Na página da Comissão em uma rede social há a seguinte postagem:

“A Comissão de Pesquisa e Pós-Graduação em Direito da OAB/SP, que tem por objetivo cooperar com a formação e aprimoramento de pesquisadores, especialistas, mestres e doutores capazes de enfrentar novos desafios científicos com independência intelectual, de forma a contribuir para o progresso científico, econômico e social do país com atenção às demandas atuais da sociedade e onde se promova o diálogo entre os pares em nível nacional e internacional de forma a democratizar e compartilhar o conhecimento.”

As atividades irão acontecer em São Paulo, mas com foco em todo o país.

Confira outros integrantes da Comissão na galeria de fotos abaixo.

Além de ser um reconhecimento para o UNISAL que tem um dos Cursos de Direito e Mestrado na área mais tradicionais da Região Metropolitana do Vale e Litoral Norte.

Biografia de Grasiele

A Professora Grasiele Augusta Ferreira Nascimento é professora, pesquisadora e mãe de duas meninas, Gabriela e Valentina. Atuou por 13 anos no Curso de Mestrado em Direito do UNISAL, Unidade Lorena. Desde o início deste ano, passou a representar a Direção Operacional do UNISAL. É também docente na Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá (FEG/UNESP). Membro do conselho editorial da Revista Direito & Paz e membro da Academia de Letras de Lorena (ALL), ocupa a cadeira de número 10, cujo patrono é seu falecido pai, Sr. Guido Gilberto do Nascimento. É também autora de 4 livros e 13 obras coletivas, entre as quais: Proteção Contra a Discriminação da Mulher na Relação Laboral: questões relevantes enfrentadas pelos ordenamentos jurídicos do Brasil e de Portugal; Direito das Minorias: proteção e discriminação no trabalho; A Educação e o Trabalho do Adolescente.  Também é autora de 36 capítulos de livros e de 44 artigos publicados em periódicos jurídicos nacionais e internacionais.

Ana Paula-unisal

 Ana Paula Carvalho de Oliveira
Formada em Psicologia em 2014

Era fevereiro de um ano que começava com as portas abertas para uma escolha. Essa escolha era assinada por mim. Sendo assim, existia nela um peso sensível de responsabilidade e de liberdade, que pousavam também sobre as pontas dos meus dedos.

Era o início de um ano em que os intervalos não eram mais recreios e, caso eu quisesse, poderiam ser mais longos do que o determinado. Eu andava pelo pátio sob uma noite estrelada. Os sentimentos misturavam-se e multiplicavam-se. Era medo, angústia e insegurança que aumentavam em progressão aritmética, enquanto eu caminhava. Contudo, existia uma vontade. Ah, a vontade de “não-sei-o-quê” era maior que qualquer sentimento que pudesse travar o meu caminhar. O que eu ali esperava?

Era tanta gente, eu me sentia tão distante daquelas pessoas que pareciam saber tanto sobre onde estavam e o que queriam.  Pessoas, aparentemente, tão confortáveis em ser o que eram. Eu apenas queria encontrar rostos conhecidos e estava atrás de rostos novos que quisessem me encontrar. Aquele pátio parecia tão grande, tantos bancos, tanta gente, tantas tribos ali se reuniam.

Eu parecia tão só, sentei-me num banco próximo à estátua de Dom Bosco, numa posição em que eu pudesse observá-la. Num minuto de descanso do mundo que me cercava, estabeleci um diálogo com aquela estátua que, anos mais tarde, fui entender o quanto significava. Disse a ela: “Hoje, sou o seu palco, eu te observo. Mas, caro Dom Bosco, imagine só de quantas histórias não irá o senhor ser meu espectador?”. Por um instante, fechei meus olhos e me passaram todas as cenas que ali eu poderia (iria) viver.

Passados mais de sete anos, posso afirmar: não vivi ali nem metade de todas as incontáveis histórias que se apossaram de mim em apenas segundos. Não encontrei um amor, não vivi uma grande decepção, não tive brigas, nem mesmo recebi prêmios naquele local. Na realidade, o que eu vivenciei foram as pequenas amenidades cotidianas: as risadas com os amigos, os famosos “MTPs” (Momentos de Tensão Pré-prova), o bate-papo com os professores, o sorriso dos funcionários etc. Amenidades tais que vistas de fora não serviriam de enredo para um conto, mas de dentro, têm todos os ingredientes para formar um romance.

Se eu retornasse até aquela estátua e pudéssemos, novamente, conversar. Talvez, ela me dissesse o quanto eu caminhei e o quanto ela assistiu a essa minha travessia. Como as minhas aspirações mudaram e se fortaleceram, apesar do medo, da angústia e das inseguranças continuarem a se multiplicar. Como, em muitos momentos dessa caminhada, eu me esqueci de observar o céu estrelado, pois outras preocupações menos importantes ocupavam a mente. E, ainda, como eu me esqueci várias vezes de me olhar e falhei, mas, também, de um jeito ou de outro, pude remendar as falhas e fazer coisas novas. As escolhas já não pesam tanto, mas cada dia mais, o conceito de liberdade passou a se confundir com o de responsabilidade e, assim, dentre outras coisas, os intervalos foram ficando mais curtos com o passar dos anos.

Talvez ela, a estátua, não se lembre mais de mim, pois quantas milhares de histórias já não presenciou?

Possivelmente o meu rosto serviu de pano de fundo para vários outros estreantes nesse palco (pátio) da universidade e a minha história mescle parte da história de muitos outros estudantes que ali tiveram a honra de iniciar sua jornada. Por trás de cada rosto sem nome a caminhar pelo pátio do UNISAL e a ser observado pela estátua de Dom Bosco, há vidas sendo moldadas e a se cruzarem, bem como vínculos sendo feitos e desfeitos no ritmo incansável da rotação terrestre.

A minha poderia ser apenas mais uma história no meio de tantas outras, no meio de tanta gente vivendo suas amenidades e, entre uma amenidade e outra, construindo suas memórias. Acho que é isso. Se for para definir, mesmo com o medo de limitar, o pátio da faculdade foi a paisagem de algumas das minhas memórias e das de muitos outros rostos que eu já sei e que eu ainda não sei os nomes.

O download do E-Book pode ser feito gratuitamente. Clique aqui e confira!

Esta é “A vida nos pátios do UNISAL”…

Porque o que dá sentido à vida não pode se perder no tempo!

 

maria-oliveira-direito

Marina de Oliveira
Aluna do 4º ano de Direito

 

Viver nos pátios do UNISAL pode se transformar em uma experiência emocionante e que lhe gera cada dia mais amor a um milhão de coisas e pessoas ao mesmo tempo. Desde que comecei a faculdade, passei  as tardes no UNISAL, estudando e aproximando-me a cada dia de cada um dos funcionários, hoje amigos. Depois de 3 anos completos do curso de Direito, fiquei doente e entrei em depressão. Passei a ter transtornos e posso dizer, com todo meu coração, que os colaboradores do UNISAL foram essenciais.

Em todo o começo dos meus problemas de saúde, tanto a coordenação quanto a portaria mantinham-me em pé, sempre com uma palavra de apoio e amizade. Nos momentos de tristeza, muitos se moveram como podiam para me levantar da amargura a qual sentia.

Logo no início deste semestre, quanto eu iria começar o meu 4º ano de Direito, tive de trancar a minha matrícula. Foi o momento mais intenso e mais triste o qual já imaginei experimentar. Os professores são mais que amigos e deram-me todo o apoio que lhes cabia. A coordenação sempre me mantendo por perto, conversando comigo, apoiando-me, incentivando-me. Devo ressaltar que sinto-me com uma dívida eterna com eles, grandes parceiros, e quero usar deste meio para agradecer aos funcionários da portaria que me faziam companhia, que me divertiam, tomavam café comigo, que me faziam sentir parte da vida deles, ser importante.

Agradeço de todo coração às funcionárias da limpeza por terem sido tão gentis, compreensivas e tratarem-me com tanto carinho, à pastoral da faculdade que sempre  trazia alegria, as boas risadas nos pátios, aos amigos que promoviam momentos agradáveis, às oportunidades de ser professora de redação e ajudar os idosos no Programa Informática para Idade Ativa, ao maravilhoso Padre Mario por toda sua paciência. Em todos os momentos que podíamos conversar, ele foi carinhoso, educado e amigo. Aos professores, em especial Jaime Meira, Antônio Sávio e Marcius Nahur, pois foram muito mais que educadores e instrutores, foram amigos; acreditavam em mim, sabendo tudo que vivi e passei, não me julgando nem criticando.

Definitivamente eu tenho uma imensa e eterna paixão por todos os meus anos de UNISAL os quais devo a todas as pessoas que me seguraram pelas mãos nos momentos mais difíceis que passei. Retorno ao UNISAL no próximo semestre com a certeza de que todo o carinho e apoio que recebi não foram perdidos e que as oportunidades de construir um profissional melhor certamente me aguardam.  Obrigada, UNISAL Lorena por tudo!

(Marina de Oliveira enviou sua história em junho de 2015. Em agosto do mesmo ano ela fez a reabertura da matrícula no curso de Direito.)

O download do E-Book pode ser feito gratuitamente. Clique aqui e confira!

Esta é “A vida nos pátios do UNISAL”…

Porque o que dá sentido à vida não pode se perder no tempo!

 

1a-turma-administracao-2

Gessi Batista da Silva Castro
Formada em Administração em 2003 (1ª turma)
Pós-Graduada em Psicopedagogia em 2014
MBA em Gestão de Pessoas em 2007
Aluna da Pós-Graduação em Formação de Docentes para o Ensino Superior
Funcionária da Secretaria Acadêmica

 

Digo com toda certeza, que o UNISAL proporcionou-me  a maior diferença na minha vida, tanto pessoal quanto profissional. Foi a realização de um sonho.

Em 1996, iniciei como faxineira. Aos 10 meses veio a promoção para a liderança do setor de limpeza. A oportunidade batendo à minha porta, não podia pensar duas vezes. Então, isso despertou em mim o desejo pelo estudo, a busca pelo conhecimento.

Hoje, vejo o crescimento desta instituição, relembrando anos anteriores. Tenho lembranças vivenciadas nos pátios desta instituição, como colaboradora.  Tinha o prazer  de mantê-los  sempre limpos. Via com orgulho o dever de manter limpo o chão para todos que por ali passassem, o chão que significava o caminho do sucesso, do crescimento, da inspiração de muitos talentos.

Em 2000, minha vida obteve um novo rumo. Foi o início da realização de um outro sonho: o curso de Administração. Eu queria fazer algo que pudesse desenvolver a habilidade de ensinar, colaborar, orientar outras pessoas de maneira que elas pudessem acreditar no seu potencial, mostrar que elas eram importantes, independentemente de cor, raça e classe social. Fui descobrindo o meu perfil e as habilidades por meio das minhas atitudes.

O UNISAL oferece uma formação diferenciada, dotada de princípios e valores que fazem muita diferença para o aluno. O aprendizado é transcendente, tanto no profissional quanto no pessoal e, principalmente, acrescenta na bagagem do conhecimento os valores humanos.

A emoção toma conta do coração ao relembrar os momentos dos intervalos, salas de aula, professores, amigos que conquistamos ao longo de quatro anos. Foram muitas trocas de experiência, trabalho em grupo, apresentação de seminário, monitorias de contabilidade. Tudo isso resultou em aprendizado, soma de conhecimento, despertou em mim outros sonhos. Vejo que o aprendizado é constante, a sede do saber não tem fim… Além de cursar Administração com ênfase em Marketing, tive o desejo de aprofundar os estudos na área com que me identifiquei, que é a liderança e gestão de pessoas. Sendo assim, em 2005 ingressei no curso de MBA em Gestão de Pessoas o qual resulta 10 anos de experiência.

Outra área com que me identifiquei muito foi o trabalho social e voluntário. Para este, eu dedico algumas horas por semana, desde 2006, no Movimento Vicentino, acompanhando famílias necessitadas em vários aspectos. Trabalhamos com arrecadação de alimentos, entrega de cestas básicas e também com a evangelização, tentando resgatar essas famílias e inseri-las na sociedade. Também como líder na Pastoral da Criança, acompanho gestantes e crianças de 0 a 6 anos de idade. Nesta, a preocupação é com os cuidados que a gestante precisa ter para que a criança nasça saudável e obtenha qualidade de vida. Esse trabalho levou-me a novas pesquisas, a buscar conhecer um pouco mais sobre o desenvolvimento da criança por meio do curso de Psicopedagogia, em 2012/2013. Com esse trabalho voluntário, assumi um compromisso de AF (Agente Facilitador/Coordenadora) da Pastoral Social na paróquia Nossa Senhora Aparecida, no bairro Industrial em Lorena.

Aprendi que o conhecimento não é para ser guardado somente pra você. Ele precisa ser multiplicado, favorecer outras pessoas. Há uma frase que eu sempre digo: “Sozinhos não somos nada, juntos somos mais e fazemos a diferença na vida de outras pessoas”.

Profissionalmente, trabalhei no UNISAL de 1996 a 2005. Em 2010 voltei para a instituição e aqui estou há quase cinco anos, na secretaria da faculdade.

Finalizando, sou apaixonada por esta instituição, pelo carisma salesiano e principalmente pela filosofia de Dom Bosco.

O download do E-Book pode ser feito gratuitamente. Clique aqui e confira!

Esta é “A vida nos pátios do UNISAL”…

Porque o que dá sentido à vida não pode se perder no tempo!

Walquiria-Silva-Ex-Aluna

Walquíria Silva, Ex-Aluna do UNISAL Lorena, apresenta formas de trazer a tecnologia para a sala de aula.

O que são GEGs?

Você já ouviu falar  dos GEGs (Grupos de Educadores Google)? São comunidades de educadores que aprendem, compartilham e inspiram uns aos outros em prol da educação. A Ex-Aluna, Walquíria Silva, toruxe a novidade para Lorena. E o Programa de Relacionamento com o Ex-Aluno apoia o trabalho.

A iniciativa oferece ferramentas para que os educadores colaborarem mutuamente. “É uma troca de ideias que permite ajudar colegas a atender melhor às necessidades dos alunos por meio de soluções tecnológicas, dentro e fora da sala de aula”, afirma o site do GEG.

Como acontece a formação?

As atividades do GEGs acontecem online e offline. Os GEGs online são um espaço no qual os educadores podem discutir juntos e conhecer uns aos outros por meio do Google+. Eventos e workshops offline e locais são uma forma de aprendizado e compartilhamento presencial.

Qualquer pessoa pode participar do GEG: diretores, administradores de escolas, professores, alunos ou pessoas interessadas em usar os produtos do Google para ajudar as pessoas a aprender. Cada grupo é organizado por um voluntário local (líder do GEG) e é totalmente independente do Google enquanto corporação.

Objetivo em Lorena

O objetivo do projeto é atrair multiplicadores capazes de disseminar o uso das Tecnologias em Sala de Aula e contribuir na transformação do ensino.

Encontros offline

1º Encontro: 11/06 às 8h30
Tema: O Uso das ferramentas do Google na Educação

Clique aqui para se inscrever!

Encontros online:

A Psicopedagoga e Ex-Aluna UNISAL, Walquíria Silva, está à disposição para trocar ideias e  atender as escolas e associações.

Entre em contato pelo Grupo no Google+!

zeima-satim-2

Sabe quem foi destaque no Concurso Nacional de “Professor Inovador 2015″ promovido pela UNICAMP? A Ex-Aluna e Docente do UNISAL Lorena, Zeima Satim.

Ela está entre os 60 finalistas, selecionados entre 200 educadores de todo o Brasil.

O Prêmio valoriza a dedicação e competência no exercício da docência em sala de aula.

“Concorri com minhas práticas em sala de aula e relatei as metodologias que utilizei durante o ano de 2015, dentre elas, TBL, TPS e Projeto Interdisciplinar e os resultados positivos que tivemos”, revelou Zeima.

Além do reconhecimento por meio de um certificado, Zeima também poderá participar de um Programa de Capacitação a distância intitulado “ Educação Inovadora com Tecnologia” na modalidade curso de extensão com certificado emitido pela Escola de Extensão da UNICAMP, com previsão de início em setembro/2016.

“Ser inovadora é engajar alunos nas resoluções práticas de situações jurídicas, por meio de metodologias, que os levem a pensar e buscar o próprio aprendizado” – declara a Ex-Aluna.

debora-coach

Quer se achar no campo profissional? Faça coaching!

Débora Alves formou-se em Psicologia pelo UNISAL em 1999.

Fez do diploma o passaporte para um mundo de oportunidades e desafios.

Concluiu MBA em Gerência de Recursos Humanos e o Curso Profissional de Coach pelo IBC (Instituto Brasileiro de Coaching). Atuou como Analista de Recursos Humanos em empresas como Novelis, Nobrecel e LG Eletronics. Desde 2015 ela se dedica à Psicologia Clínica e Coaching, na qual realiza atendimentos em Coaching de Carreira, Vocacional, Realização Profissional e Terapia.

Como aliar a Psicologia ao Coaching?

As duas profissões podem ter mais coisas incomum do que se imagina.

A psicologia é a ciência que estuda o comportamento e as funções mentais. Tem como objetivo imediato a compreensão de grupos e indivíduos.

O Coaching é um processo em que o profissional Coach auxilia o seu Coachee (cliente) por meio de ferramentas e perguntas poderosas a realizar uma reflexão sobre si mesmo. O processo leva ao  autoconhecimento, a um planejamento e a uma ação, e, consequentemente, amplia o nível de consciência sobre o que pode estar impedindo de alcançar o objetivo.

“Decidir o que realmente queremos fazer com  nossas vidas e com as nossas carreiras não é tarefa fácil, ainda mais quando grande parte dessas decisões parece ter de acontecer em um momento tão precoce e turbulento da vida que é a nossa juventude.” – afirma a Ex-Aluna.

Levantamentos comprovam que a abrangência do Coaching é muito interessante, por abordar questões da nossa vida pessoal, dos negócios, do mundo empresarial e na construção da carreira.

Os números não nos deixam mentir. Por exemplo, no campo executivo, o processo mostrou sua eficácia por meio de depoimentos reais publicados em uma  pesquisa realizada pela PUC Campinas. De 10 executivos  que passaram pelo processo de Coaching,  100% aperfeiçoaram a capacidade de ouvir e 70% evoluíram a capacidade de se relacionarem.

Pensando em como poderia ajudar outras pessoas a construírem sua carreira, Débora Alves preparou o “Workshop Coaching de Carreira Realize”, que será realizado nos dias 14 e 15 de maio.

Você tem curiosidade de conhecer esse processo? Sabe em que ele pode melhorar a sua vida? Divulgamos o Workshop que se destina aos Universitários e seus inúmeros objetivos de carreira. Confira:

> É direcionado para aqueles que estão em dúvida quanto à escolha profissional;
> Para aqueles que estão à procura de uma vaga de estágio ou trainee, mas que encontram dificuldade nos processos seletivos;
> Para os que e já estão no mercado de trabalho, mas não conseguem utilizar todo o potencial que têm;
> E também para os que estão em fase inicial de carreira e que não sabem ao certo o que querem ou qual caminho seguir.

Os encontros serão realizados na Empresa Phocus, em Lorena, e as inscrições podem ser feitas a partir deste dia 2 de maio, com Marcela Mendonça, pelo e-mail marcelasmendonca@gmail.com ou pelo telefone (12) 98104-4020. O investimento é de R$150,00.

Débora defende a ideia de que “você pode conseguir tudo o que quiser, desde que saiba exatamente aonde quer chegar.” – Carolina Nalon.

Clique aqui e conheça um pouco mais dos trabalhos da Ex-Aluna!

vida-nova-mudar

No primeiro artigo que escrevi aqui, refletimos sobre a disponibilidade que precisamos ter para colocar nossas ideias em prática, realizar sonhos e manter relacionamentos saudáveis. Continuaremos a falar sobre a disponibilidade, mas sob outra perspectiva: a mudança! Você já notou como essa palavra tem sido pronunciada frequentemente por nós?

É claro que, ao falar sobre mudanças, é impossível não citar as manifestações realizadas em diversos pontos do Brasil, mostrando que o brasileiro pode e deve ser autor de sua história, exigindo de nossos governantes a seriedade e a responsabilidade com o voto de confiança que cada um de nós depositou em suas propostas. Mas, quando o assunto é a política, é importante ter em mente que a mudança não está somente “lá fora”. Não basta sair às ruas se você mal consegue lembrar em quem votou nas últimas eleições. Qual foi seu candidato a deputado estadual e federal? E o vereador em que você votou? Elaborou alguma proposta que realmente impactou, positivamente, a rotina de sua cidade? As eleições municipais estão aí e essa será a sua chance de fazer boas escolhas.

Mas não é a política o objetivo deste texto, então, eu sugiro que você fique por dentro dos acontecimentos em nosso país, acompanhando o noticiário, sempre com um bom senso crítico para não se deixar manipular. De forma respeitosa, leia também os comentários dos amigos, converse em casa e mantenha um diálogo saudável sobre esta que deveria também ser uma paixão do brasileiro: a política.

Voltando ao tema central deste artigo, gostaria de reafirmar que mudança acontece sempre de dentro para fora, não há outro caminho! Toda vez que você, insatisfeito com a realidade em que vive, resolve colocar toda a culpa nos outros ou nas circunstâncias, o resultado será sempre ruim, sempre. E isso acontece porque boa parte da nossa insatisfação está associada à forma como agimos diante do que acontece conosco. Antes de reclamar que a vida não está boa, que nada acontece com você, pense nas atitudes que tem tomado nos últimos dias. Lembre-se: o motivo da insatisfação está sempre dentro de você e não fora.

Será que você realmente está disposto a mudar? Vamos fazer um teste?

1. Nos últimos dias, você prometeu que ia começar a fazer atividades físicas ou reeducação alimentar, mas acabou desistindo. Sim ou não?
2. Você comprou um livro novo ou baixou a versão digital, mas acabou não lendo o livro até o final. Sim ou não?
3. Antes de entrar em sua rede social predileta, você prometeu que ia dar uma olhada nos sites de notícias ou pesquisar sobre aquela ideia de negócio ou um novo curso de idiomas, mas ficou mesmo é no Facebook. Sim ou Não?
4. Aquela promessa de fazer um trabalho voluntário ou de visitar com maior frequência seus amigos e familiares também acabou sendo adiada. Sim ou Não?

Se você respondeu “sim” a quase todas as perguntas, fique tranquilo. Você não está sozinho. A verdade é que muitos de nós acabamos “sabotando” nossos processos de mudança por estarmos acomodados em nossa “zona de conforto”. Mudar nem sempre é um processo agradável. Apenas quando somos crianças é que as mudanças são uma deliciosa oportunidade de aproveitar o novo. Depois, crescemos e criamos uma certa resistência em desapegar daquilo que já não faz bem. Essa resistência vem acompanhada de um palavrão: a PROCRASTINAÇÃO. Aquela mania que a gente tem de deixar para amanhã o que pode fazer hoje.

A boa ou má notícia (isso vai depender da sua interpretação dos fatos, rs), é que o mundo em que vivemos hoje praticamente, nos empurra para a mudança de comportamentos. Convivemos com crianças cada vez mais espertas que exigem pais mais atentos; trabalhamos com diferentes gerações que pedem mais flexibilidade e compreensão de pensamentos diferentes; somos praticamente atropelados pela aceleração do tempo, o que nos leva a saber aproveitar melhor a vida, seja ela como for.

Em poucas palavras, ou você muda ou vai ficar cada vez mais insatisfeito. Não precisa sair por aí querendo fazer mudanças radicais que pouco tempo irão durar. Comece aos poucos, vá com calma, primeiro pelas coisas mais fáceis e, motivado pelo resultado, dê continuidade à mudança dos desafios maiores. Com certeza, ao final de um curto prazo, você vai se sentir bem melhor!
Renove-se, acredite na mudança e siga em frente!

Vanessa Espíndola concluiu o MBA em Gestão de Pessoas no UNISAL Lorena em 2014. Atualmente é Palestrante e Assessora de Imprensa e Produção de Conteúdo.

maria-eunice2

“Seja a mudança que você quer ver no mundo”. Mahatma Gandhi

Tem Ex-Aluno UNISAL colocando em prática uma das frases mais completas já conhecidas em toda a humanidade.

E o Programa PRA SEMPRE está presente para divulgar, entre outras ações, atividades exercidas pelos egressos salesianos e que provocam mudanças significativas na sociedade.

Maria Eunice Rodrigues é um exemplo a ser seguido. Graduada em Pedagogia e Pós-Graduada em Psicopedagogia e Psicomotricidade pelo UNISAL Lorena, ela tem a missão de difundir sua história para um universo infinito de pessoas que a profissional só tem a chance de conhecer com um trabalho engrandecedor como é o dela.

A experiência de ter passado por um câncer resultou no livro “Casa arrumada – Apesar do furacão e através dele. Uma história sobre como encarar o câncer para curar a alma”. Paulinas Editora, 2013. Tão grande foi o sucesso que houve uma nova edição, em 2015, e o lançamento, em formato digital, em 2016.

unisal-maria-eunice-assisE pensa que ela parou por aí? Que nada! Do livro, Maria Eunice investiu em uma palestra. “A verdadeira história da menina espantalho” é o tema deste enredo que contagia o público de  maneira leve e reflexiva a partir do exemplo  de uma menininha da roça que espantava passarinhos no arrozal. A pedagoga traz a atitude ingênua de uma criança à nossa realidade atual, quando precisamos ser profissionais e pessoas resilientes.

Ao longo da apresentação, Maria Eunice também aborda a importância do desenvolvimento integral do ser humano, por meio da harmonia entre corpo e espírito. E convida a todos para uma postura inusitada e inovadora: espantar a prostração, o mau humor, a falta de sentido para a vida e a negatividade.

Maria Eunice aposta na conversa consigo mesma e na fé em Deus para tirar lição até mesmo de momentos que parecem ser ruins. Afinal, foram 3 anos de tratamento contra esta doença que, em muitos casos, é fatal.  “Desta forma, podemos auxiliar as pessoas em sua vivência pessoal, interpessoal e profissional, de modo que toda a vez que uma pessoa adotar essa nova postura possa refletir em um ser saudável, harmônico, cuidadoso consigo, com os outros e com todo o contexto ao seu redor.” – Afirma a Ex-Aluna.

Instigante a história dessa nossa guerreira, não é mesmo?

Acesse o vídeo e se surpreenda ainda mais.

Maria Eunice também compartilha suas experiências em uma rede social. Clique aqui e confira!

juciele-unisal

Juciele é formada em História  no ano de 2007.

Experiências pessoais e acadêmicas vividas no UNISAL

Fui estagiária voluntária no IEV, participei da Mostra de Estágios, de diversas oficinas, das Semanas das Licenciaturas e de trabalhos voluntários junto à Pastoral da Universidade.

Competências que o curso transmitiu

Com o curso de licenciatura, tive professores que ensinaram com seu próprio exemplo o prazer e a importância do ofício de educador.

Valores que o UNISAL transmitiu

Integração do conhecimento

Diálogo entre fé e razão

Busca contínua da verdade

Formação ética

Espírito de liberdade na caridade

Histórico profissional e a contribuição do curso na sua profissão

Durante o curso, estagiei no Colégio São Joaquim, lecionei durante 6 anos em Escolas Estaduais, fui Tutora de EAD em uma faculdade a distância e hoje realizo o grande sonho de trabalhar na área da Educação no Colégio São Joaquim.

Ter concluído a faculdade, ainda que com dificuldades financeiras, me fez crescer como pessoa humana, crítica e profissionalmente. Hoje, depois de 10 anos que me matriculei no curso de História, volto para o UNISAL fazendo Pedagogia e estou gostando muito!

Fatores de dificuldade e facilidade de inserção no mercado

Não é fácil entrar no mercado de trabalho na área da Educação, já que dependemos de concursos públicos quando não temos a oportunidade de conseguir no setor privado. Porém, pode-se lecionar como professor contratado na Secretaria do Estado de São Paulo. As dificuldades, a princípio, são relacionadas à burocracia para iniciar no setor público.

Mensagem para os atuais alunos do UNISAL

O curso de História nos forma educadores, pensadores, críticos e nos faz descobrir que podemos mudar o mundo ao nosso redor e assim fazer a diferença onde vivemos. Muito mais do que um diploma, o conhecimento que é adquirido ao longo da vida acadêmica é algo próprio que ninguém jamais poderá tomá-lo. Nós somos parte da História e nada mais prazeroso do que estudar e saber que é possível resgatar a nossa identidade. Pronto falei! :)

agatta-manso-unisal

Agatta é formada em DIREITO no ano de 2012

Experiências pessoais e acadêmicas vividas no UNISAL

Fui presidente do Diretório Central dos Estudantes, gestão 2008/2009; realizei diversas atividades beneficentes junto a Pastoral da Universidade; fui bolsista no ano de 2012 pelo BICSal em que apresentei uma pesquisa sobre os aspectos jurídicos da legislação de resíduos sólidos nas cidades do Vale do Paraíba.

Competências que o curso transmitiu

Uma de minhas primeiras conquistas com o curso foi minha aprovação no Exame de Ordem logo após minha formatura, atualmente sou advogada.

Valores transmitidos pelo UNISAL

Integração do conhecimento

Diálogo entre fé e razão

Espírito de liberdade na caridade

Respeito recíproco

Histórico profissional

Enquanto estive cursando Direito, trabalhei como vendedora no comércio de Lorena e atuei como estagiária em alguns escritórios de Lorena e Guaratinguetá. Atualmente sou advogada, moro e trabalho em São Paulo e, com certeza, o UNISAL me deu o suporte essencial para que eu me tornasse a profissional que sou. O curso contribuiu para meu crescimento, tendo em vista que até então eu não tinha uma profissão. Após o término do curso faço o que gosto e posso trabalhar por conta própria, sem vínculos empregatícios.

Fatores de dificuldade e facilidade de inserção no mercado

Em São Paulo um dos requisitos para inserção no mercado é ter Pós-Graduação em uma matéria especifica. Eu não tive dificuldades tendo em vista que iniciei um trabalho em conjunto com a OAB e suas comissões para gerir meu próprio escritório.

Mensagem aos atuais alunos

Desejo sorte a todos os novos colegas, que se empenhem arduamente para seguir esse caminho maravilhoso que o Direito pode nos proporcionar. Tenho certeza que a escolha do UNISAL para a carreira de cada um fará muita diferença no futuro profissional de vocês. Hoje me orgulho em ser formada pelo UNISAL e por ter conquistado meus objetivos profissionais na área. Sorte, sucesso e garra!!!

Elaine-UNISAL

Elaine Mendes é Ex-Aluna do Curso de Administração do UNISAL São Paulo / Santa Teresinha - Concluído em 2012.

Em 2007, durante uma conversa informal com o saudoso Dom Joaquim Justino Carreira, manifestei meu desejo de retomar os estudos acadêmicos, interrompidos várias vezes por circunstâncias profissionais. Lembro como se fosse hoje: “… minha filha já escolheu o curso e a faculdade? Sim Dom, o Curso de Administração de Empresas na PUC …que bom, precisamos de pessoas qualificadas em nossa Igreja para assessorar melhor nosso Clero…mas vou pedir uma coisa a você, preste o vestibular nos Salesianos, eles são muito bons, você não vai se arrepender…”

E assim começou a minha história de amor com o UNISAL. No decorrer do Curso foram muitas as lutas, a superação, a determinação, o desespero e o amor que crescia cada dia mais por esta magnífica profissão Administrador de Empresas.

Quando me dei conta já estava à beira do TPC e o desespero tomou conta de mim, O que fazer? Para onde ir? E aí no meio desta turbulência me aparecem Ernando de Melo querido amigo e Mestre, Karen Monteiro e Drª. Marly Cavalcanti, que me falaram: “faça um tema que cause impacto na banca, que seja polêmico.” E assim foi: “A Mudança Gerencial na Igreja Católica Apostólica Romana” com nota 10, aquilo ao qual eu me predispus a fazer me forma com a melhor nota que eu pudesse alcançar.

O que mudou na minha vida? Muitas coisas, minha autoestima, entendi que é perfeitamente possível realizar aquilo que você se predispõe na vida como meta, não existe barreira para isso, fui reconhecida pela Instituição na qual trabalho Mitra Arquidiocesana de São Paulo pelo atual Bispo e pelo Ecônomo, por meio da minha promoção para Gerente Administrativa da Região Episcopal, além de hoje auxiliar administrativamente 64 Paróquias e 10 Comunidades.

Uma grande vitória, uma grande conquista e não consigo parar mais de estudar e adquirir conhecimentos para melhorar no meio em que convivo.

Obrigada UNISAL e Projeto Dom Bosco por fazer parte desta alegria e conquista!

Cinthia-UNISAL

Cinthia Ribeiro do Amaral é Ex-Aluna do curso de Pós-Graduação em Direito de Família e Sucessões do UNISAL Lorena

Experiências pessoais e acadêmicas vividas no UNISAL

“As experiências alcançadas foram as melhores possíveis, tanto pessoal quanto acadêmica… Pude rever alguns professores da Graduação (UNISAL), conhecer outros, aprimorar os laços de amizade e conhecimento profissional. Uma verdadeira “troca” de experiências… Como sempre dizíamos durante o curso, formamos uma família!”

Valores transmitidos pelo UNISAL

  • Integração do conhecimento
  • Formação ética
  • Espírito de liberdade na caridade
  • Respeito recíproco
  • Promoção dos direitos humanos

Histórico profissional e a contribuição do curso na sua profissão

“Bom, sou Graduada em Direito pela Unisal (Lorena) em 2000. Fiz Pós-Graduação em Direito do Estado pela Gama Filho, em 2004. Em 2010, graduei-me em Letras pela UNAR (Universidade de Araras/SP); Em 2012, para minha realização profissional, ingressei na Pós em Direito de Família e Sucessões Unisal – Pólo de Pindamonhangaba – que há muito tempo queria cursar, mas não conseguia.

Hoje, além de Advogada, sou Presidente da Comissão de Direito de Família e Sucessões da 47ª Subsecção da OAB/SP – Cruzeiro; sou membro da Comissão de Direito de Família e Sucessões da OABSP; E, recentemente, fui aprovada para integrar a Comissão Nacional de Estudos Constitucionais da Família no IBDFAM.

Todas estas conquistas não seriam possíveis sem a participação do UNISAL.”

Mensagem para os atuais alunos do UNISAL

“A alegria que se tem em pensar e aprender faz-nos pensar e aprender ainda mais” (Aristóteles)

“Não há vitórias e conquistas sem luta e dedicação… Dediquemo-nos ainda mais!”