plano-de-curso

Uma análise documental acerca das estratégias de ensino-aprendizagem em relação às competências e habilidades discentes.

Introdução

Um dos principais enfoques da graduação em Psicologia que se volta à interface “saúde-educação” deve ser a formação profissional do discente. Afinal, a atuação deste profissional no futuro próximo, representará um importante meio de promoção da saúde individual e coletiva, sendo capaz de fortalecer as relações interpessoais e desenvolver as potencialidades do ser humano, em qualquer contexto social, o que demanda um preparo técnico-profissional consistente e de alta qualidade. Nesta linha de pensamento o presente trabalho visa fornecer informações, por meio de investigações e inferências, acerca das estratégias de ensino-aprendizagem aplicadas ao longo da formação dos graduandos da área de Psicologia voltando-se à eficácia de tais procedimentos no desenvolvimento de habilidades e competências a serem alcançadas pelos alunos, com base nos conteúdos e registros expostos nos planos de ensino das disciplinas profissionalizantes do curso. A questão norteadora da pesquisa é a seguinte: as estratégias de ensino-aprendizagem propostas pelos docentes mostram pontos de ligação com o conjunto de competências e habilidades presentes nos planos de curso (ensino)? As competências podem ser definidas como a capacidade de aplicar e de integrar conhecimentos, habilidades e atitudes em atividades práticas, no exercício da atuação profissional, na resolução de problemas de modo eficiente e na modificação do próprio comportamento ou do ambiente em determinadas situações, abrangendo vários elementos, tais como: motivação, valores éticos, flexibilidade, autonomia, emoções e outros componentes sociais e comportamentais (PERRENOUD; THURLER, 2002; ZABALA; ARNAU, 2010). No domínio das competências, o conceito de habilidade, focaliza a capacidade adquirida através de treinamento e prática para realizar um conjunto de determinados comportamentos e que retrata a capacidade de interação e desempenho nas relações sociais e na aplicação de conhecimentos compreendidos e dominados (SANTOS, 2009). A metodologia tradicional visa, predominantemente, à fidelidade reprodutiva do conteúdo comunicado em sala de aula, considerando mais importante a quantidade de informações que o aluno consegue memorizar. Por isso, enfatiza a realização de provas escritas como único instrumento avaliativo, buscando evidenciar a exatidão do desempenho do aluno. O professor ensina como se faz e depois realiza tarefas para ver se a resposta está de acordo com os ensinamentos. Já a metodologia contemporânea recebe esta denominação, pois os docentes utilizam técnicas que caracterizam a mensuração da aprendizagem, mas também buscam verificar a construção do conhecimento e promover uma maior capacidade de pensamento crítico e assertivo, como também buscam promover maior senso de autonomia e aprendizagem ativa e significativa junto ao estudante. (GURGEL; LEITE, 2007). Esta modalidade de aplicação do ensino está envolvida com o processo de ensinagem (ANASTASIOU, 2011), uma prática social complexa efetivada entre os sujeitos, professor e aluno, que engloba a ação de ensinar e o ato de apreender, envolvendo uma parceria deliberada e consciente para o enfrentamento na construção do conhecimento. Verifica-se, portanto, que as estratégias aplicadas na metodologia tradicional são diretamente mais voltadas a um caráter comprobatório da aprendizagem do aluno e de uma postura passiva em relação ao mesmo (XIAOYAN, 2003), enquanto as estratégias da metodologia contemporânea aplicam-se ao maior desenvolvimento da autonomia e participação do estudante em seu processo de aprendizagem ao longo da graduação (KIPPER; RÜÜTMANN, 2010). Tais posicionamentos podem ser confirmados nos pressupostos, apresentados no Quadro 1.

plano-de-curso

Para organizar e administrar adequadamente o amplo processo de aprendizagem do discente, além de cumprir uma medida institucional, o professor universitário elabora o plano de curso (ensino) de modo a sistematizar os procedimentos, conteúdos e atividades que serão cumpridos e adotados ao longo do período letivo. Este documento abrange o conteúdo teórico, os recursos materiais, as estratégias de ensino-aprendizagem e as temáticas a serem tratadas nas aulas, dentre outros elementos, sendo, entretanto, flexível e tendo a capacidade de adaptar-se à medida que a interação com os alunos vai ocorrendo (ABREU; MASETTO, 1989).

Objetivos

O objetivo geral é analisar a metodologia dos planos de curso (ensino) das disciplinas relativas ao 4º e 5º anos do Curso de Psicologia de uma instituição particular de ensino do interior paulista, quanto aos itens “estratégias de ensino-aprendizagem” e “competências e habilidades”. A meta visa investigar se as estratégias de ensino-aprendizagem propostas nos planos de curso mostram relação direta com as competências e habilidades estabelecidas nos mesmos e efetuar comparações destes dois itens com a literatura sobre as estratégias tradicionais e contemporâneas e os efeitos pedagógicos e psicológicos sobre o aprendizado discente.

Métodos/Procedimentos

O delineamento refere-se a uma pesquisa documental, que busca extrair informações por meio de documentos e outros materiais que não receberam tratamento analítico, ou que ainda podem ser reelaborados de acordo com os objetivos da pesquisa (SILVA, 2009). Os materiais são 72 planos de ensino, de disciplinas do 7º ao 10º período letivo da grade do Curso de Psicologia. A coleta dos dados foi efetivada por meio de uma ficha de registro, elaborada pelo autor do trabalho e orientadora (BORGES; NOGUEIRA, 2012), que avalia elementos de identificação das disciplinas juntamente com “as estratégias de ensino-aprendizagem” propostas e as “competências e habilidades” estabelecidas. O tratamento e a análise dos dados contam com a mensuração, a categorização e a interpretação qualitativa dos dados através da Análise de Conteúdo. Até o presente momento 69 documentos foram analisados.

Resultados

Realizou-se a análise quantitativa, conforme mostra a Figura 1, que representa o percentual da aplicação de estratégias de ensino baseadas nas metodologias tradicionais e contemporâneas nas ênfases profissionalizantes do Curso de Psicologia (PC: Práticas Clínicas/ ECS: Educação e Compromisso Social/ SMP: Saúde Mental e Prevenção), em que se enquadram as disciplinas ministradas do 7º ao 10º período letivo.

Anelise de Barros Leite Nogueira concluiu o curso de Psicologia no UNISAL Lorena em 1984 (Antiga Faculdade Salesiana de Filosofia, Ciências e Letras de Lorena). Atualmente é pesquisadora e professora.

Thiago Ribeiro Borges concluiu o curso de Psicologia no UNISAL Lorena em 2013, em que obteve o título de Universitário 5 Estrelas. Atualmente é pesquisador e professor.