Central de atendimento 0800 77 12345

Núcleo de Educ. das Relações Étnico-Raciais, Cult. e Indígena

Esta Política de Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena visa potencializar o papel do Centro Universitário Salesiano de São Paulo, UNISAL, como difusor da história e da cultura afro-brasileira e indígena, em prol de uma formação para a cidadania responsável e para construção de uma sociedade justa, de igualdade de direitos e democrática.

A multiplicidade da formação do povo brasileiro reflete uma heterogeneidade cultural, étnica e racial, constituindo riqueza e marca nacional, realidade que tem despertado a atenção de diversos setores da sociedade e de organizações nacionais e internacionais.

Por sua vez, a tensa relação, muitas vezes oculta, entre a cultura afro-brasileira e indígena e a cultura branca e europeia – fruto de ideologias, desigualdades e estereótipos racistas – tem gerado inúmeras polêmicas. Ainda que 50,7% da população brasileira se declarem negra e 0,4% indígena (segundo dados do IBGE, 2010), persiste o imaginário étnico-racial de valorização da cultura “branca” (europeia), em detrimento da história e da cultura africanas, assim como da indígena e afro-brasileira.

Nesse cenário, embasado pelo vocábulo “raça” – construído socialmente no marco de tensões entre brancos e negros, que dispensa o conceito biológico empregado no século XVIII, e utilizado nas relações sociais brasileiras para informar determinadas características físicas – criou-se um mecanismo de ascensão ou declínio social, de condicionamento do fim e do lugar social dos sujeitos na sociedade.

Tal é a necessidade de uma reeducação das relações étnico-raciais no Brasil. Fundamentalmente ela deve pautar-se, por um lado, pela memória da história, conquistas e marginalização; por outro, pela busca de justiça e eliminação do racismo e da discriminação. Por isso, a necessidade de uma educação de reconhecimento e valorização das culturas, em busca de um projeto comum para a sociedade.

Nesse sentido, o UNISAL, preocupado com a formação de bons cristãos e honestos cidadãos, desenvolve um conjunto de ações a fim de fortalecer o reconhecimento do pluralismo cultural, étnico-racial, com fundamentos na cultura de paz; “considera imprescindível que seu Projeto Pedagógico contemple temáticas vinculadas de forma direta e/ou indireta à história e cultura afro-brasileira, africana e indígena” (PDI, 3.5.2).

Esta Política, portanto, pretende fortalecer a valorização da cultura e o reconhecimento da diversidade étnico-racial e, notadamente, a educação para a cidadania, para a justiça e para a paz.

Objetivo Geral

Promover o estudo – fundado nas dimensões histórica, social e antropológica oriundas da realidade brasileira – das relações étnico-raciais, do reconhecimento e valorização do patrimônio histórico-cultural afro-brasileiro e indígena e da diversidade da nação, em prol do combate ao racismo e à discriminação que atingem a sociedade, particularmente, afrodescendente e indígena. Com isso, educar para a formação de atitudes, posturas e valores que conscientizem e eduquem os cidadãos ao seu pertencimento étnico-racial, para a interação e construção de uma sociedade democrática, comprometida com a igualdade, com a garantia de direitos e com a valorização da identidade de todos.

Objetivos Específicos

Com base no que dispõem os fundamentos e o objetivo geral desta Política, são objetivos específicos da Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena a serem observados conforme cada fase, etapa e modalidade:

  • promover reparações, reconhecimento e valorização da história, da cultura e da identidade da população afrodescendente e indígena;
  • fomentar o direito de reconhecimento e de expressão dos negros e dos índios no Estado brasileiro;
  • divulgar o direito de os negros e os índios, assim como de todo brasileiro, frequentarem instituições educativas, em seus vários níveis, de qualidade e devidamente instaladas, sem qualquer desigualdade étnico-racial;
  • contribuir para a educação da não discriminação em âmbito local, regional, nacional e internacional, com o fim de valorizar e difundir as manifestações culturais, assegurando-se o exercício dos direitos culturais e a diversidade étnico-racial;
  • consolidar o papel do UNISAL como agente cultural, promotor e defensor do direito à cultura e à igualdade;
  • fortalecer as potencialidades do UNISAL e combiná-las com as demandas da sociedade, ampliando parcerias e intercâmbios a favor da promoção e defesa da diversidade cultural e de todo seu legado histórico;
  • incentivar o estudo e a valorização das relações étnico-raciais no ensino, na pesquisa e na extensão.

Plano de Ação

Para a efetivação desta Política, em prol do reconhecimento e valorização da história e cultura afro-brasileiras e indígena, propõe-se:

  • garantir o ensino da história e cultura afro-brasileira e indígena, educação das relações étnico-raciais, em conteúdo de disciplinas, sob várias modalidades, atividades extraclasse ou projetos de diferentes naturezas;
  • introduzir, na formação dos profissionais da educação, o estudo das relações étnico-raciais e do ensino e da aprendizagem da história e cultura afro-brasileira e indígena;
  • apoiar, sistematicamente, os professores na elaboração de planos, conteúdo, projetos e atividades sobre a história e cultura afro-brasileira e indígena;
  • divulgar as experiências pedagógicas e acadêmicas sobre a educação das relações étnico-raciais;
  • fomentar cursos de capacitação para a valorização dos direitos humanos e a proteção da diversidade étnico-racial;
  • consolidar, nos espaços culturais da Instituição (teatro, cinema, vídeo, dança, cenotécnica, oficina de artes), a oferta de cursos à comunidade interna e externa para o diálogo entre culturas e promoção da diversidade étnico-racial;
  • ampliar, na medida de suas possibilidades, a produção de materiais de divulgação da temática cultural, étnico-racial;
  • incentivar atividades em que pessoas – alunos, professores, servidores e gestores – de diferentes culturas interajam e interpretem-se reciprocamente, ao garantir a expressão e o respeito a valores;
  • estimular apresentações artísticas nos Campi da Instituição, observando o respeito à diversidade e, com isso, incentivar e apoiar o potencial artístico-cultural da comunidade universitária;
  • realizar periodicamente eventos acadêmicos que promovam a diversidade étnico-racial;
  • memorar datas significativas, como o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial (21.03), o Dia Nacional de Denúncia contra o Racismo (13.05), o Dia Nacional da Consciência Negra (20.11), Dia do Índio (19.04) entre outros;
  • articular parcerias entre o UNISAL e núcleos de pesquisa sobre as relações étnico-raciais, assim como a comunidade e movimentos sociais, visando à formação de professores para a educação étnico-racial;
  • firmar convênios com órgãos públicos e privados para subsidiar a realização de práticas e eventos culturais e de promoção da igualdade;
  • ampliar a participação da comunidade nas atividades culturais e promover a igualdade étnico-racial, dentro ou fora da Instituição;
  • participar, com a sociedade, das práticas de proteção ao patrimônio cultural material e imaterial local, regional e nacional;
  • inserir, nos documentos normativos e de planejamento de ensino, o combate ao racismo e à discriminação e a valorização e respeito à história e cultura afro-brasileira e indígena.

Equipe

– Antonio Wardison C. Silva, Presidente
– Antonio Tadeu Miranda
– Débora Regina Belinazzo de Moraes Barbosa
– Lucinéia Crespin Pinho Micaela, Coordenadora
– Marília Rosário Bestani
– Tathiane Cecilia Enéas de Arruda

Materiais de Apoio


Eventos


Unidades

Infraestrutura

  1. Biblioteca

  2. Laboratórios

  3. Auditórios