Central de atendimento 0800 77 12345

Núcleo de Educação em Direitos Humanos

A Política de Educação em Direitos Humanos (EDH) visa consolidar o papel do Centro Universitário Salesiano de São Paulo como agente cultural, promotor e defensor dos Direitos Humanos, na perspectiva de contribuir para a preservação da vida e para a promoção de uma cultura de paz.

O reconhecimento de direitos a todas as pessoas, independentemente de suas condições específicas, foi resultado de uma longa evolução do pensamento político, filosófico e jurídico. A compreensão de Direitos Humanos, como atestada pela história, diz respeito a um conjunto de direitos subjetivos, referentes à pessoa humana e, ao mesmo tempo, imprescindíveis, universais e irrenunciáveis. Eles constituem exigências ideais que apontam para a realização mais plena da pessoa humana em comunidade.

A Declaração de 1948 foi um marco histórico na busca de um denominador moral comum para a humanidade. Ela representa um sistema de valores universais, não em princípio, mas de fato, pois foi reconhecida como válida e capaz de reger os destinos da comunidade universal.

O pensamento cristão, ao lado de outras concepções filosóficas e teológicas, exerceu importante papel em prol do reconhecimento da dignidade da pessoa humana. A Doutrina Social da Igreja foi aos poucos consolidando-se com um marco referencial para os cristãos quanto à defesa, promoção e difusão dos invioláveis direitos do homem.

As Instituições Salesianas de Educação Superior (IUS), em sintonia com a Igreja, comprometem-se a defender e difundir os valores humanos, ao colocar no centro a vida e o desenvolvimento de todas as potencialidades da pessoa humana, a favor de uma sociedade mais justa e fraterna. Essa missão desenvolve-se, fundamentalmente, com os jovens mais pobres e vulneráveis, opção preferencial salesiana.

Também o UNISAL, fundado em princípios humanistas, tem a “missão de contribuir para a formação integral de honestos cidadãos e bons cristãos, por meio da produção e difusão do conhecimento e da cultura e pela implementação de ações efetivas de caráter sociocomunitário” (PDI). Em suas práticas educativas, visa à construção de uma cultura de direitos humanos, capaz de promover a criação de uma sociedade mais justa, tolerante, solidária e responsável. O UNISAL tem, portanto, “o dever de promover os Direitos Humanos e o direito de defendê-los quando estiver em jogo o bem integral dos jovens sob os seus cuidados” (PDI).

Nesse horizonte, esta Política visa garantir a defesa e a promoção dos direitos humanos e, em consequência, a unidade na diversidade, a solidariedade como expressão da caridade, o respeito à pluralidade; tem o papel de promover nos jovens universitários, por meio de várias ações acadêmicas, a Educação em Direitos Humanos e, com isso, a transformação da sociedade e o combate às causas profundas da injustiça, da pobreza, da exclusão. Para tanto, buscará viabilizar ações que minimizem as iniquidades sociais, sobretudo aquelas advindas da exclusão histórica de determinados grupos, em razão de motivos étnicos, socioeconômicos de gênero, orientação sexual, entre outros.

Objetivos Geral:

Estabelecer, por meio de um processo sistemático e interdisciplinar, a Educação em Direitos Humanos, em prol da construção de uma sociedade comprometida com a defesa e promoção da dignidade humana e dos valores inalienáveis da pessoa, viabilizando ações que favoreçam à pessoa e à sociedade se reconhecerem como sujeitos de direitos, capazes de exercê-los e difundi-los, além de desenvolver a sensibilidade ética e política do jovem universitário, formando-o para a vida e para a convivência.

Objetivos Específicos:

Com base no que dispõem o objetivo geral desta Política, são objetivos específicos da Educação em Direitos Humanos a serem observados conforme cada fase, etapa e modalidade:

  • garantir a Educação em Direitos Humanos como parte integrante do processo educativo;
  • fomentar a defesa dos direitos humanos e dos valores da democracia;
  • formar o cidadão para o compromisso ético;
  • conscientizar o aluno sobre a importância de participar da vida democrática;
  • promover, na comunidade acadêmica e na sociedade, os valores da tolerância, do respeito, da solidariedade, da fraternidade, da justiça, da inclusão, da pluralidade e da sustentabilidade;
  • formar o sujeito de direitos para o conhecimento histórico; para a afirmação de valores, atitudes e práticas sociais; para a conscientização da cidadania; para a construção coletiva de políticas públicas; para o fortalecimento de práticas individuais e sociais sobre os Direitos Humanos;
  • estudar os direitos da criança e do adolescente;
  • ampliar a relação entre o UNISAL e a sociedade com o objetivo de promover e efetivar os Direitos Humanos.

Plano de ação

Para a efetivação desta Política, em prol da defesa e promoção da dignidade humana e de uma sociedade justa e solidária, propõe-se:

  • observar e implementar a Educação em Direitos Humanos no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e nos Programas Pedagógicos de Curso (PPC);
  • garantir a Educação em Direitos Humanos como componente curricular obrigatório nos cursos destinados aos profissionais da educação;
  • incentivar a reflexão crítica dos alunos por meio de trabalhos na comunidade acadêmica e social, com o objetivo de formar cidadãos capazes de intervir na sociedade para torná-la mais justa e solidária;
  • fomentar, por meio da Pastoral, a formação inicial e continuada em Direitos Humanos;
  • inserir, desde que respeitados os parâmetros fundamentais dos Projetos Pedagógicos dos Cursos, a Educação em Direitos Humanos de forma transversal nas esferas do ensino (com a implantação do estudo de Direitos Humanos nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação e de conteúdos complementares por meios de atividades interdisciplinares); da pesquisa (com apoio direto à investigação e publicação científica e formação de grupos de estudos); da extensão (no trabalho com movimentos sociais e gestão pública) e da gestão (incorporada na administração e relações humanas);
  • estudar as relações étnico-raciais, quilombola e indígena; o meio ambiente e a sustentabilidade planetária; a identidade de gênero e orientação sexual; a inclusão educacional das pessoas com deficiência; a soberania das nações e a organização dos povos ou classes; a migração do tráfico humano; a liberdade religiosa;
  • promover ações de Educação em Direitos Humanos em prol da erradicação da pobreza, do preconceito e da discriminação, com atenção aos direitos das crianças, dos adolescentes e dos jovens;
  • identificar, nas comunidades que cercam os diversos campi do UNISAL, as ameaças aos direitos humanos, as concretas dificuldades de efetivação e propor um projeto de intervenção;
  • estudar os diversos campos de atuação dos direitos humanos para subsidiar possíveis formas de intervenção dos jovens universitários às comunidades que circundam o UNISAL;
  • identificar e cadastrar órgãos públicos e organizações da sociedade civil que atuam nas diversas áreas dos direitos humanos e que podem tornar-se parceiros na efetivação dos compromissos da presente Política;
  • contribuir para a solução ou minimização de problemas dos diversos grupos da sociedade, principalmente os que estão em situação de vulnerabilidade, por meio da conscientização e efetivação de seus direitos.

Equipe

– Antonio Wardison C. Silva – Presidente
– Daisy Rafaela da Silva – Coordenadora
– Kleber Cavalcanti Stefano
– Laercio José L. dos Santos
– Nasser Mahmoud Hasan
– Sueli Maria Pessagno Caro
– Thiago Fernando Cardoso Nalesso

Eventos


Unidades

Infraestrutura

  1. Biblioteca

  2. Laboratórios

  3. Auditórios