Encontro das Licenciaturas 2018 reúne especialistas renomados e futuros professores

Uma apresentação cultural feita por alunos do UNISAL abriu o “Encontro das Licenciaturas 2018 – Brasil e Finlândia: um diálogo sobre inovação e qualidade na educação”, realizado em 17 de maio de 2018 no UNISAL – Unidade Lorena/São Joaquim. Maria Izaura (Pedagogia), Lucas Lima e Rafael Minte (Psicologia) e Ederson Fonseca (Matemática) mostraram que o talento vai além da sala de aula – em que alguns deles já atuam – e se aplica também na música: eles trouxeram ao público diversas canções da MPB, entre elas algumas que marcaram a história de luta pela liberdade e pelo conhecimento.

O encontro foi aberto oficialmente pelo Diretor da Presença Salesiana em Lorena e Piquete-SP, Pe. Luís Fabiano dos Santos Barbosa, que ao longo de sua fala destacou que não se pode esquecer do professor e do papel fundamental que ele exerce na sociedade. Na sequência, o evento também foi palco para o lançamento da Revista #FicaPIBID – inspirada pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência, considerado o maior projeto de formação docente do MEC (Ministério da Educação) e mantido pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

O tema da Revista refere-se a um protesto, em razão da ameaça de descontinuidade do programa, e tem como intuito mostrar o papel de nossos 42 alunos, licenciandos dos cursos de Psicologia, História, Matemática e Filosofia, atuantes em quatro escolas estaduais de Lorena e Guaratinguetá”, revelou a Prof.ª Euni Vieira e Silva, atual Coordenadora de Estágios do UNISAL que já coordenou o PIBID em 2017 (no decorrer de 2018, a coordenação está a cargo do Prof. Eduardo Nagata).

O objetivo do material impresso, que pode ser conferido AQUI em formato eletrônico e gratuito, é socializar o conhecimento pedagógico construído pelo PIBID e pelo UNISAL, e refletir sobre a sua importância na formação dos futuros professores.

A Prof.ª Cidinha Amaral, Coordenadora do curso de Pedagogia e também uma das organizadoras do evento, mediou a roda de conversa desenvolvida no decorrer da noite e apresentou os palestrantes convocados para o Encontro. Ao iniciar seu discurso, agradeceu a presença dos participantes e acrescentou que o processo de conhecimento tem a total responsabilidade do professor e, por isso, um evento como o das Licenciaturas era o momento ideal para a partilha de experiências.

A Prof.ª Rita de Cássia Magalhães Trindade Stano, que também participou do encontro, levantou um questionamento: “que tipo de inovação pode levar à qualidade? O encontro é muito interessante justamente pelo contexto desse cenário, ou seja, de entendermos que, apesar das diferenças entre esses dois países, podemos somar um para o outro”, revelou a docente associada da Universidade Federal de Itajubá-MG, a respeito da temática principal: a educação no Brasil e na Finlândia.

Jarkko Wickström, Coordenador de Educação, Ciência e Pesquisa da Embaixada da Finlândia no Brasil, dirigiu-se aos presentes e questionou, antes de tudo, que tipo de público estava no auditório. Ao constatar que a maioria dos presentes era de professores e estudantes de licenciatura, ele afirmou: “este é o público mais importante ao qual eu palestrei”, denominando-os como os atores mais relevantes da sociedade. À frente do cargo na Embaixada desde 2016, ele também revelou que a educação básica se mostra muito aberta à inovação e, por isso, é uma honra e um desafio trabalhar projetos de pesquisa da Finlândia no Brasil. “Apesar de sermos referência em sistemas educacionais – inclusive, com reconhecimento da Organização das Nações Unidas – temos muito que aprender com o Brasil e outros países”. 

O evento foi sinônimo de que o trabalho em redes de cooperação e a troca experiências agregam boas iniciativas, e que essas podem ser a chave para uma educação de qualidade. Para isto, Jarkko compartilhou alguns aspectos da história finlandesa, mostrando o contexto em que se desenvolveu aquele que é considerado o melhor sistema educativo do mundo.

Ele surpreendeu o público ao contar que a formação dos alunos é totalmente gratuita na Finlândia, desde a pré-escola ao doutorado – e mais do que “dar o exemplo”, moveu um rico diálogo. E na constante evolução dos processos educativos que mudam com a história, destacou elementos como as metodologias ativas, a formação e valorização dos professores, a discriminação positiva para reconhecer e incentivar os diferentes talentos e habilidades dos alunos, a importância de atividades não habituais no decorrer do ensino (como música, teatro, economia doméstica, fotografia, saúde dental, psicologia etc) e o cuidado para prevenir que o processo de ensino não seja determinado pelos métodos de avaliação, e sim por aquilo que realmente agrega aos alunos.

Em suma, Jakko mostrou que a qualidade na educação está diretamente atrelada à qualidade de vida, e que cooperar, ser criativo, correr riscos e confiar no outro também fazem parte de uma formação para a vida. E destacou que trabalhar com salesianos em São José dos Campos foi uma experiência rica, demonstrando na prática a importância de uma formação integral.

Estiveram presentes no evento, além de alunos, ex-alunos, professores do UNISAL e de outras instituições, representantes das escolas estaduais de Lorena e Guaratinguetá em que são desenvolvidos os projetos do PIBID. Confira as fotos do evento: