Embaixador brasileiro no Líbano visita o UNISAL

EMBAIXADOR VISITA UNISAL (98)menorEm um bate-papo descontraído, o diplomata revelou o amor que tem pelo Brasil e o quanto divulga a língua portuguesa pelo mundo

O UNISAL Lorena abriu as portas neste dia 7 de agosto de 2017 para a diplomacia, a história e as curiosidades do Líbano. Em uma roda de conversa com alguns graduandos, promovida pelo setor de Internacionalização do UNISAL, o Embaixador brasileiro no Líbano Jorge Geraldo Kadri discursou sobre sua carreira, tão almejada por muitos. Também desmistificou alguns tabus quando o assunto é a vida em outro país, além de incentivar estudantes a seguirem seus sonhos.

Natural de Aparecida-SP (a capital mariana da fé e reconhecida mundialmente por essa vocação), há 23 anos Jorge Geraldo Kadri vive no exterior. Com passagens pela Força Aérea e Marinha brasileiras, é Engenheiro de Máquinas e Mestre em Administração. A carreira diplomática lhe foi apresentada na década de 1980, quando ingressou no Instituto Rio Branco, a academia diplomática brasileira – uma escola altamente concorrida, com cerca de 8 mil candidatos para apenas 40 vagas. “Se eu consegui, vocês todos aqui presentes podem também vencer essa etapa”, afirmou o diplomata.

Conhecendo quase 40 países diferentes, Jorge Geraldo fez questão de destacar  e declarar seu amor pelo Brasil. Idealizador de um projeto intitulado “Divisão de Promoção da Língua Portuguesa do Itamaraty”, que tem por objetivo a difusão da língua portuguesa falada no Brasil e da cultura brasileira, ele incentiva cursos gratuitos ofertados para 180 alunos de diversas idades, em várias áreas (teatro, idiomas, capoeira, arte etc), todos com intuito de divulgar a língua portuguesa. “No Brasil, só temos gente boa. E lá no Líbano, tudo o que fazemos tem um pouco de brasilidade”, revela. O diplomata fez questão de destacar a generosidade do Brasil na relação com outros países. No evento os participantes também conferiram detalhes sobre o processo de internacionalização do UNISAL que serão divulgados em breve.

A programação do dia incluiu apresentação de dança oriental árabe da artista, bailarina e professora Circe Bellydance, de Lorena-SP. Responsável pelo projeto social voluntário “Dance DV Lorena”, Circe demonstrou no palco do Teatro São Joaquim a dança masculina libanesa, o Dabke. E para terminar, uma roda de conversa foi realizada entre Jorge Geraldo e os participantes, mediada pelos Professores Tadeu Miranda e Marcius Nahur. Sobre os países pelos quais passou, o diplomata destacou a cooperação mútua para a expansão da cultura brasileira nessas nações. “Nos 4 anos em que estive em Guiné-Bissau, (2008-2012), por exemplo, consegui trazer para o Brasil 1.200 alunos para estudarem aqui. Muitos não aproveitam essa oportunidade, é claro, mas outros desfrutam das vantagens da rica experiência cultural conquistada por um intercâmbio ou qualquer outro tipo de viagem”, declarou.

Ao ser questionado sobre vários temas pelos Alunos presentes, Jorge manteve um discurso entusiasmado sobre a recepção que os estudantes brasileiros recebem no exterior. “Temos diversos países maravilhosos para conhecer. Na Polônia, por exemplo, 200 mil dos 700 mil habitantes são jovens. Canadá e Austrália são exemplos de organização. E o Líbano, onde  estou atualmente, também é seguro para os estudantes”. Além da rica apresentação, a visita do Embaixador ao UNISAL pode render frutos. Pela simplicidade e disponibilidade demonstradas ao longo da apresentação, os Cursos de História e Direito e o Setor de Internacionalização pensam em uma aproximação com a Embaixada do Brasil no Líbano. A roda de conversa foi finalizada com os comentários do Professor Marcius Nahur sobre a fraca participação do Brasil no BRICS – agrupamento econômico atualmente composto pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Saiba mais sobre o processo de internacionalização no UNISAL acessando  http://unisal.br/internacionalizacao.