26 maio

Catraquinha (‘Escutar as crianças é uma forma de cuidar da infância’ – Prof. Severino Antônio)

.

11357235_1770161819876785_2043037475229681634_o-1024x683No último sábado, 22, a Ciranda de Filmes conversou sobre as linguagens da criança e as possibilidades de potencializarmos a escuta e o protagonismo infantil nos diferentes contextos.

Diferentemente das outras rodas, em que os convidados partilharam memórias de suas próprias infâncias, Luciene Silva, coordenadora do Centro de Formação do Educador Brincante da Oca – Escola Cultural compartilhou como seus educandos exercem o protagonismo sendo criança. Já Severino Antônio, doutor em Educação pela Unicamp, descreveu memórias de outras crianças que ela mantinha guardadas. O debate foi mediado por Ana Claudia Arruda Leite, idealizadora da Ciranda de Filmes.

Severino dividiu com a plateia situações reais de crianças protagonistas. “É assim que eu penso a criança como protagonista, pensadora, criadora de poemas e de indagações”, disse o especialista, que há quarenta anos trabalha com ensino de Redação e Leitura, Literatura, Filosofia.

Confira os trechos e cenas comentados por Severino

Uma garota cuida de uma joaninha que perdeu uma perna. Em outra ocasião ela entrega um autorretrato para o avô dizendo que era para que ele não se esqueça dela.

“Isso, é empatia, é cuidado com a vida. É também trazer a presença do que não está presente, é tornar presente o ausente.” Isso para mim é protagonismo, é a criança sendo criadora de vida, de história, criadora do texto da própria vida”.

A menina corre alegremente no corredor da escola e logo pedem que ela pare dizendo que é proibido. Ela então pára e, numa naturalidade espantosa, pergunta: ‘Mas aqui não se chama corredor’?

“Essa experiência de indagação da linguagem é uma investigação das palavras. A infância é radicalmente poética porque ela esta próxima dos sentidos”

Uma garota bem pequena, com um pouco mais de um ano, fica olhando o pai que tenta consertar um móvel. Logo ela pega um brinquedo como se fosse uma chave de fenda e sai tentando consertar todos os móveis da casa. Faz de novo e de novo.

“Essas são as duas matrizes do pensamento infantil: fazer de conta e fazer de novo. Isso é descoberta do mundo, é fazer de novo é criação da vida.

Um menino de três anos com a mãe no quintal: ‘Deus fez isso, fez esse céu, fez a nuvem, essa árvore comprida e até essa formiguinha’?

“Essa passagem no macro-mundo para a formiguinha pequena é o pensamento mágico da infância”.

Luciene Silva além de desenvolver pesquisas em Cultura Infantil e Música tradicional é coordenadora do Centro de Formação do Educador Brincante da Oca – Escola Cultural.

Na instituição as crianças são alfabetizadas e os educadores que lá atuam acreditam que se a palavra não chegar ao grau de brinquedo a criança não aprende. “Quando eu começo a descobrir essas maravilhas, inclusive viajando e resgatando as cantigas, eu vejo que não tenho nada para ensinar”, afirma.

As experimentações, as descobertas e invenções que eles fazem acontecem em todas as instâncias, no desenho e na música. “Quanta elaboração, quanta observação do entorno, quanta consciência. E são todas as coisas que ficamos tentando ensinar com papel e caneta”.

Por isso, uma brincadeira que Luciene faz com as crianças que estão sendo alfabetizadas é adivinhação. Certo dia, eles inverteram as posições e criaram adivinhas para ela.
Conheça algumas comentadas por Luciene

O que é o que é que é redondo e a gente está dentro

” Logo pensei que é era fácil e respondi: Casa Redonda”

Não Lu, é o mundo.

O que é o que é? Que a gente pensa e a gente não pensa?

É o diabo

“Mas eu não entendi nada”

A gente pensa quando a gente está triste e a gente não pensa quando estamos alegres.

Tem asas, tem medo de voar, não é bicho, nem humano, nem árvore, fica do outro lado do mundo?

É o céu.

O que é o que é? Fala mas não tem boca?

O pensamento.

O que é o que é? A gente não brinca e põe no nosso corpo?

A roupa de sair. Não se pode brincar com ela porque suja.

O que é o que é? É humano mas a gente não entende?

É o bebê.

É marrom, branco e verde?

Uma casa, uma árvore e a lua junto.
O que é o que é? É verde, vive na terra e bem bonito?

Plantas e sementes

.

Comentários

0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Leia Também