Unisal - Centro Universitário Salesiano de São Paulo Imprensa / Clipping

10 mar

A mulher empreendedora

.

 Prof. Flávio Rossi*

A participação feminina no desenvolvimento de importantes empresas é cada vez mais presente, mesmo no atual momento no qual ainda pode-se observar o preconceito e a dúvida quanto à capacidade da mulher.

A batalha feminina no cenário dos negócios é identificada praticamente no mundo todo. Observamos uma nova era em que a presença da mulher, cada vez mais preparada e adaptada no habitat dos negócios, espaço esse dominado historicamente pelos homens.

Segundo Leite, 2012, a participação feminina nas empresas é inevitável. Estamos em vésperas de uma revolução social. O século XXI poderá não ser o século das mulheres, mas com certeza será menos dos homens. 

Gradativamente e com muita vitalidade, o sexo feminino vem ocupando, sistematicamente, as posições, cargos e atribuições antes reservados unicamente aos homens.

Além do espírito empreendedor e das competências técnicas, a sensibilidade e o poder de aglutinar são encarados como um diferencial competitivo identificado nas mulheres no atual mundo dos negócios.

De acordo com o IBGE, no período de 1940 a 2010, a força de trabalho feminina passou de 2.8 milhões para 25.6 milhões de pessoas.

Entretanto, alguns obstáculos são enfrentados pelas mulheres:

A) A sombra do patriarcado – as mulheres casadas “são incapazes, relativamente, a certos atos ou a maneira de o exercer”. Assim afirmava o Código Civil Brasileiro de 1917, colocando a mulher casada no mesmo nível do menor.

Essa preposição absurda resistiu a todas as transformações na sociedade Brasileira durante quase 50 anos, só sendo revogada em 1962;

B) A dupla jornada de trabalho, ou trabalho redobrado, sobrecarregando violentamente a mulher;

C) As mulheres ainda são vítimas de preconceitos e abusos.

A evolução da participação feminina como figura empreendedora apresenta notável crescimento e a sua contribuição para o desenvolvimento da nação é de fundamental importância.

Assim, transpor as barreiras que inibem o desenvolvimento das guerreiras brasileiras passa a ser uma tarefa de toda a sociedade.

Parabéns a todas as mulheres que, com iniciativa, competência, preparo constante, sensibilidade e principalmente fé, lutam contra todas as expectativas promovendo o empreendedorismo brasileiro.

* Prof. Flávio Rossi – Graduado em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1997) e Mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Metodista de Piracicaba (2006). Atualmente é professor do Centro Universitário Salesiano de São Paulo, lecionando nos Cursos de Administração, Ciências Contábeis, Moda e Sistemas de Informação. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração e Marketing na Graduação e Pós-Graduação.

 .

Comentários

0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Leia Também